terça-feira, abril 03, 2007

RAPIDINHAS

Ficou a desconfiança – Depois de tudo o que li sobre o canudo do engenheiro Sócrates, perdão licenciado em engenharia civil, e sobre a universidade Independente fiquei com muitas dúvidas sobre a (conveniente?) confusão que ficou patente. Não sei, nem ninguém parece saber, de mais casos tão bizarros como este, que tenham acontecido a outros antigos alunos desse estabelecimento de ensino. Já deviam ter surgido casos idênticos, e ter-se-ia dado conta mas se só surgirem agora serão encarados da mesma maneira que o testemunho de alguns (poucos) colegas de Sócrates.
A actuação do ministério de Mariano Gago também me pareceu fraca, demorada e muito atrasada no que diz respeito aos alunos dessa universidade que vão carregar um estigma por terem confiado no estabelecimento e no ministério que devia vigiar o seu bom funcionamento.

Sondagens a metro – Sou muito céptico no que respeita a sondagens, mas algumas trazem o selo demonstrativo dos interesses que estão em causa. Com o nome de Barómetro, fiquei a saber pelo DN, que “Seis em cada dez discordam do emprego vitalício na função pública.” Não julguem que desconfio da honestidade ou até da percentagem, nada disso, apenas discordo das perguntas e das conclusões.
Começo pela percentagem dos que discordam do emprego vitalício na função pública, 57% foi o número apontado. Pergunto eu, qual é a percentagem dos trabalhadores portugueses que trabalham no Estado? Inferior a 57%, claro. E se a pergunta fosse outra, se aos inquiridos fosse posta esta questão: gostaria de ter um emprego com garantia vitalícia enquanto o desejasse? Qual seria o resultado? Substancialmente diferente e no sentido inverso, com toda a certeza.
Quanto à avaliação, a pergunta não faz sentido porque não é ela que está em questão, mas sim a metodologia, as quotas e a quase ausência de recurso das mesmas.
Também no barómetro é tudo uma questão de metodologia, digo eu.

*** * ***
FOTOS
kisod


*** * ***

CARTOON REAL

Um muro da vergonha com o México

5 comentários:

Laurentina disse...

Zé , fica tranquilo que o xitolo não fecha...eh eh eh eh eh , só vai estar inactivo durante 10 dias , depois do dia 7...para uma mercida lua de mel que ja deveria ter tido lugar á 32 anos...!!!

Mudando de assunto vai dar uma espreitadela a esse endereço e já ficas inteirado da "putice" destes sócretinos...

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=27998


beijão grande

Zé Povinho disse...

Li as baralhadas dessa coisa a que dão o nome de universidade independente e do envolvimento, desmentido (') dum acessor do governo. Cada vez desconfio mais desta história.
Muitas felicidades é o que te desejo.

Anónimo disse...

Apelar à inveja dos portugueses é uma tentação para os (maus)políticos que temos, que também não hesitam em aliciar empresas de sondagens que também colaboram com as perguntas convenientes para obtenção de respostas necessárias à imagem e intesntos do governo.

Sílvia disse...

Os temas e as fotos são uma delícia. Volto cá sempre que posso.
Fui

CORCUNDA disse...

Isto das universidades privadas sempre me causou muita comichão. Poderá ser apenas um acaso, mas a grande maioria das pessoas que conheço licenciadas por universidades privadas têm uma péssima preparação mesmo em áreas tão elementares como o saber escrever correctamente português. Desde que em tempos li uma notícia, em que uma Universidade (não me recordo qual) admitia alunos para determinados cursos com média de 3, fiquei completamente convencido que salvo raras excepções, a grande maioria existe para alimentar os bolsos dos gúrus que as dirigem.
Abraço.