quarta-feira, abril 18, 2007

O MURCHAR DA ROSA

A serem verdadeiras as notícias do Sol, parece que o caso das habilitações de José Sócrates atingiu um patamar insustentável para o exercício do cargo político que exerce, ainda que eleito pelo voto popular. Até agora apenas tinham surgido trapalhadas documentais e dados divergentes que apenas podiam levantar suspeitas, embora não existissem provas de que tivesse havido qualquer tipo de favorecimento.
A defesa de Sócrates começou muito mal com os telefonemas de que todos ouvimos falar, melhorou com a entrevista tendo conseguido convencer muita gente, logo depois surge a tese da campanha negra que parecia poder vingar, mas eis que surge o trabalho da cadeira de Inglês Técnico, que a ser verídica, deita tudo por terra.
Esta situação não é saudável numa democracia e este caso tem de ficar esclarecido duma vez por todas. O que Marques Mendes disse, e que na altura pareceu um tiro no pé, afinal pode bem ser uma solução: uma investigação célere e independente do poder político.

*** * ***
HUMOR NEGRO


*** * ***

FOTO

Humming-bird Hawk-moth (Macroglossum stellatarum) - by Barbaros KARA

6 comentários:

António D. Lopes disse...

É pá, o Socas está enrascado. Não sei qual vai ser a desculpa, mas vai custar a colar.
Tchau

Sílvia disse...

Oje pode ser que nem todo o detergente chegue para limpar a nódoa. Ouvi ainda agora as explicações do gabinete de Sócrates e valha-nos Deus!
Bjos

Anónimo disse...

O Vitalino atirou os foguetes da campanha negra agora vai apanhar as canas do trabalho de Inglês Técnico.

jpg disse...

E quem faz a "investigação célere e independente ao poder político quem é? - pergunto eu que sou loiro.

Ainda bem que a UnI esclareceu tudo! Que grande bomba! Ainda estão no ar os estilhaços e o fumo!
E aquele senhor que falou, que convicção, que categoria!...

Um abraço.

o guardião disse...

Não tem data a pauta do Inglês Técnico e a folha A 4 só surgirá se a UnI fechar ou se não fechar surgirá lá dos lados da Lusófona. Já percebemos tudo.
Manguito neles

Anónimo disse...

A vergonha é um sentimento escasso na política portuguesa!