quinta-feira, novembro 15, 2007

RAPIDINHAS

Carros de luxo – Afinal Teixeira dos Santos autorizou a compra das viaturas feita pelo Ministério da Justiça, segundo esclarecimento público feito pelo ministro Alberto Costa. Os 135.717 euros que custaram os 5 carros que estão destinados ao Ministério da Justiça, foram autorizados apesar das restrições impostas pelo Ministério das Finanças, no que respeita às aquisições de viaturas. Os carros não deixam de ser de luxo, e as excepções devem ser apenas para confirmar a regra, pensamos nós.

Ministra da Cultura – Apanhada na teia, não convenceu ninguém quanto ao aumento de dinheiros para a Cultura, que afinal continuam a ser apenas 4 décimas do OE, ou 1% do PIB. A desculpa da falta de vigilantes, atirada para o passado, quando os guardas passaram a vigilantes é surreal, até por já durante o seu mandato esta é 3ª vez que se verifica a escassez destes profissionais, porque se está viver desde há muito com o recurso a contratados, sempre com promessas de que o assunto vai ser resolvido, o que também agora não vai acontecer. O tal “provicianismo atroz” de que fala Isabel Pires de Lima, quanto às críticas sobre a exposição do Hermitage, viram-se contra ela quando os museus fecham por falta de pessoal, e quando reparamos na degradação do nosso Património, e na falta de meios para se fazerem exposições e implementar novas dinâmicas viradas para o público nos Museus, Palácios e Monumentos Nacionais. A senhora ministra devia fazer um roteiro cultural com visitas a todo o Património tutelado pelo seu ministério, para se inteirar in loco das realidades.

Insultos e diplomacia – Portugal e as suas instituições, têm vindo a ser enxovalhados por políticos de outros países, e não se ouve uma resposta firme, nem do nosso governo nem da Presidência da República. Eu, que até não votei em nenhum destes órgãos de soberania, e que até nem confio na sua acção, sinto-me incomodado, porque internamente e num Estado democrático as críticas a que me refiro, daríam certamente lugar a condenação judicial pelos termos utilizados, contudo nos círculos da diplomacia internacional, os nossos dirigentes assobiam para o ar e fingem que não ouvem. O que me sucederia se eu dissesse o que Hugo Chávez disse sobre Portugal em relação aos EUA, ou se me atrevesse a pronunciar o que um acessor dum deputado inglês disse sobre a PJ portuguesa?
Cabe aos portugueses julgar os seus políticos e instituições. Como somos diferentes e demasiado tolerantes com ingerências estrangeiras, até vamos ter em breve Chávez a jantar com Sócrates, o nosso 1º ministro, sem se ter conhecido qualquer reacção oficial aos seus recentes comentários. Terei alguma costela espanhola sem saber?

*** * ***
FOTOGRAFIA
* C a n i c u l a
Anna-Mei

*** * ***


CARTOON

13 comentários:

quintarantino disse...

Um conjunto de disparates que já nem merecem o nosso incómodo.

Sérgio Pontes disse...

Isto só neste pais: Aperta o cinto, vá lá, aperta o cinto!

... que é para comprar mais uns carrinhos de luxo...

Um abraço

Sílvia disse...

A Isabelinha saiu-te outra vez na rifa, Olha que se pensas que a menina se vai deslocar aos museus e monumentos, bem podes tirar o cavalinho da chuva, porque ela só vai se houver festança e jornalistas. Deixa estar que eu em breve é que vou fazer-te uma visitinha.
Bjos

ANTONIO DELGADO disse...

Há muita incongruencias na politica portuguesa e nos modo de a fazer. Os seus actores não são carismaticos pelo contrarios parece que são são tacanhos e desprovidos de razão. Que interessa mandar fazer sacrifico ao povo se quem está acima não os faz...que moral tem esta gente que governa e por simpatia o estado?

Um abraço
António

Um abraço
António Delgado

AnarKa disse...

A justiça está a precisar mesmo de acelerar e em estilo. A Coltura está em pandarecos, eu também já vi os galos de Barcelos à venda no palácio NACIONAL (?) da Pena e as mesas nas cozinhas, e íam-me caindo os ditos.
Ver os nossos governantes a apertar as mãos ao Mugabe, ao Putim e outros mais, até já nem me choca, só por cá é que processam quem os critica e até mandam polícia para amedrontar quem faz greve. Este país não existe, é ficção...
Lol

adrianeites disse...

a questão do "aperta o cinto" é dentro dos carrinhos!

fotos e cartoons do melhor, invariavelmente..

Sulista disse...

Gostei bastante dos cartoons!! estão bem apanhados ;-)

As fotos são bonitas mas...prefiro de homens, já sabes...LOL

DA politica, tudo na mesma...não há novidades...ou seja: continuam tds uma cambada!!!

Bjs

Tiago R Cardoso disse...

"tesourinhos deprimentes" deste nosso país.

SILÊNCIO CULPADO disse...

É sempre um soma e segue.Porém, enquanto tivermos voz e solidariedade, não hão-de fazer tudo o que querem.

Laurentina disse...

Ora bem , ...Portugal no seu melhor!!!

Beijão

NÓMADA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
NÓMADA disse...

Este governo é muito equilibrado, nunca dá tudo aos mesmos: a uns dá o trabalho aos outros a recompensa. Os que têm valor já estão servidos e, por isso, não têm que ter grandes posições. Assim escolhem-se para altos cargos aqueles que o não têm.

Meg disse...

Ainda não compreendi por que é que nós, Zé Povinho, permitimos que os nossos representantes não estejam sujeitos às mesmas restrições, a que nos condenam.
Por que não uma frota de carros utilitários, devidamente identificados, e acabarmos com a ostentação, quando esse dinheiro faz falta na mesa de tantos portugueses.
Haja vergonha!!!

Um abraço