quinta-feira, agosto 09, 2007

EXCEDENTÁRIOS DA CULTURA

Como noticiei ontem, em última hora, os números apesentados pelo Diário Económico não estão correctos e o Ministério da Cultura emitiu um comunicado referindo que a existência de “cerca de 900 excedentários” “não corresponde à verdade”. A incorrecção deriva sobretudo do número de funcionários públicos tutelados por Isabel Pires de Lima, que serão 2924 e não 3700 como referia aquela publicação.
O Ministério da Cultura não avança com números relativos aos funcionários a deslocar para o quadro de mobilidade, limitando-se a referir que este ainda não se encontra definitivamente contabilizado. A única afirmação taxativa, constante do comunicado, é “que o número de funcionários a deslocar para o quadro de mobilidade ficará muito aquém das nove centenas”.
Na próxima semana o balanço definitivo será enviado para o Ministério das Finanças, pelo que muito brevemente se saberá o número real dos funcionários excedentes deste ministério.
Ficará no entanto por esclarecer como é que há pessoal excedentário, onde notoriamente há quadros subdimensionados especialmente em categorias onde se encontram os funcionários absolutamente indispensáveis ao normal funcionamento dos serviços abertos ao público, como sejam os museus, palácios e monumentos. Este processo está longe de estar terminado e esperamos pela divulgação das listas de excedentários, para voltarmos ao assunto que queremos comentar, que é o da gestão dos recursos humanos.

*** * ***
FOTOGRAFIAS DE FELINOS
mtor

Антон Ягуаров

*** * ***

AS ESCOLHAS DO ZÉ

O nosso homem em Londres by Kaos

José Sócrates in Blog de Caricaturas

7 comentários:

o guardião disse...

Magníficas escolhas Zé. As notícias da Cultura continuam baralhadas, e o número de funcionários a dispensar ainda não é conhecido. Mais uma semana e começa a dança.
Cumps

quintino disse...

A questão de fundo é a que deixa no ar: gestão de recursos humanos.
E isso vai-nos arrastar para outras: está o Estado preparado para receber os excedentários como desempregados futuros ou estar-se-á a preparar um cenário em que essas pessoas deixarão, pura e simplesmente, de existir para certos e determinados efeitos?

João Rato disse...

A reforma da função pública no seu melhor: dispensar trabalhadores e tratar pior quem vai ficando!

Sílvia disse...

Hoje foste para as imagens de gatos, pequenos e grandinhos e para o humor nacional que há por aí, o que foi uma boa escolha. Quanto à agri-Cultura, estamos à espera para aquilatar os estragos que vão ser causados pelos nabos.
A propósito, o Goraz hoje não está ao serviço?
Bjos

Tiago R Cardoso disse...

Sou capaz de apostar que quando sair a famosa lista de excedentários, do ministério da cultura, o nome dos srs. do abaixo assinado não vai lá estar, com sempre aqui e de certeza nos outros sectores públicos, vai-se ter relevância a "competência" e não a cor do cartão, o grau de informação, nem muito menos os "amigalhaços", só vai ficar gente "boa".

BruToon disse...

Boas...
O Sr. Pseudo Eng. José Socrates deve de vez em quando ir a pesca para lixar o zé povo, pode ser que lhe apareça a frente um iceberg...
Abraço

C Valente disse...

Excedentário é o meu gato, vou-o dispensar, não me trás o jornal ao sofá.
Hoje deu-me para aqui, devo acrescentar que no s bairros da Corraleira ou Cova da Moura por certo á gente boa e honesta.
Belas imagens, os cartoons excelentes
Um Abraço