terça-feira, maio 29, 2007

CAMELÓMIO

O Zé Povinho deu destaque às infelizes declarações do ministro Mário Lino, e também às explicações que surgiram depois, já que em ambas as ocasiões ele foi absolutamente patético. O ministro hoje não mereceria qualquer referência neste espaço, não fosse um artigo do Correio da manhã vir falar sobre a blogosfera e a falta de legislação.
Não conheço a jornalista Márcia Bajouco, nem me parece que ela conheça o meio de que fala nem a realidade do país. Sobre a realidade, posso recordar-lhe que o anonimato não é desnecessário, bastando para isso lembrar que já há delatores, quem incentive essa prática e quem não hesite em punir sem o exercício do contraditório.
O exercício da liberdade de expressão existe na blogosfera e pode ser prejudicial noutros meios, especialmente no mundo laboral.
O anonimato não implica que se pratique o insulto gratuito, e a prova disso é que há milhares de blogues que não o praticam, embora não se eximam de criticar ou parodiar com o quotidiano, mesmo que se trate de governantes ou outras figuras públicas. A liberdade existente na blogosfera não tem paralelo nem é comparável à dos meios de comunicação social tradicionais. É que aqui não há patrões, não há agenda e não há o perigo de não vermos o artigo não ser publicado por ser considerado inconveniente, ou não se enquadrar na estratégia do grupo empresarial.
Cara jornalista, não deseje nunca que seja imposta legislação limitadora à liberdade de expressão que existe na blogosfera, porque a haver algo do género, viveríamos já numa ditadura.
*
Nota: Camelómio – Hospício para camelos (nova definição do anedotário nacional).
*
Outro artigo sobre a mesma notícia em

*** * ***

ESCOLHA FOTOGRÁFICA
fotoleo

yuri melnikov

*** * ***

CARTOON

Visões diferentes - Trosley

6 comentários:

Belzebu disse...

A Márcia Bajouco deve ser mais uma jornalista condicionada por pressões editoriais, que encara mal a liberdade de expressão e a não dependência da publicidade e de grupos económicos!

Fica-lhe mal, arrisca-se mesmo a ser destacada para o deserto da margem Sul!

Um abraço infernal!

Sílvia disse...

É frustrante para os jornalistas verem na blogosfera notícias e críticas que os próprios não se atrevem a escrever. Claro que legislar sobre a blogosfera é um disparate e só uma ditadura pode aventar essa hipótese.
Bjos

J.G.Sineiro disse...

Nem de propósito! Eu a referir-me ao CM no comentário anterior e agora aparece-me esta Bajouca a atirar-se à liberdade dos blogues.

Este odiozinho dos "jornaleiros" já vem de há muito.

Vejamos, foram os primeiros a fazer blogues. estavam no meio, conheceram a coisa antes e deliciaram-se. Era tudo deles. Escrevinhavam nos seus órgãos de informação opinando como queriam ou o chefe redactorial "aconselhava" e ainda voltavam a dizer o mesmo para quem os lia nos blogues.

Mas depois é que foram elas! Este novo meio de comunicação, porque disso se trata realmente, desenvolveu-se rapidamente e os senhores dos jornais e das rádios e TVs começaram a ler opiniões contrárias e, ainda para cúmulo, num português a que eles não chegavam.
Os opinion makers começaram a perder nitidamente influência. E daí, foi um passo muito pequeno para que muitos fossem corridos, pois já não tinham utilidade para os proprietários dos jornais.

Os blogues puseram as pessoas a pensar. Não só a escrever, a pensar!
E isso é que os prestadores de recados não perdoam!

Um abraço, Zé Povinho.

Sulista disse...

É só dor de cotovelo dos jornalismo de sensação, tipo 'O Crime, disse Ela' !!!!!!!


;-)

As palavras ôcas dessa getinha, resvalam na couraça da indiferença dos bloggers não anónimos :-D

Odysseus disse...

Bom eu tento não fazer insultos fáceis, mas da forma como sou "ofendido" constantemente pela classe política torna-se difícil de agir com isenção.

Cumps

adrianeites disse...

trata-se obviamente de inveja....
concordo com os comentários..
acho que a explicação no seu post está sublime! *****
cp's