terça-feira, outubro 30, 2007

MAIS E MELHOR, POR MENOS DINHEIRO

A propósito de um estudo, parece que encomendado pelo Instituto Nacional de Administração à Universidade Católica, o senhor ministro das Finanças concluiu brilhantemente, que “os cidadãos querem mais e melhor e que se gaste menos”.
Pelo que ouvi na rádio, foram inquiridas 300 pessoas das duas maiores cidades do país e 50 dirigentes da Administração Pública, pelo que se estranha muito a representatividade do mesmo, e mais ainda que dele se tirem algumas conclusões.
A propósito da afirmação de Teixeira dos Santos, pergunto se os portugueses fossem questionados sobre se “achavam que podiam produzir mais e melhor por menos dinheiro”, teria uma resposta que fosse do seu agrado.
Um estudo destes, ainda que coordenado por Roberto Carneiro, não deixa margem para dúvidas que é da conveniência do governo, quer pela oportunidade quer pelas conclusões, mesmo partindo de premissas bastante duvidosas. Como é que se pode admitir a comparação do desempenho entre o sector público e o privado, quando não há termo de comparação na maioria das funções? Porque carga de água o Ministério das Finanças aparece como um bom exemplo, quando é o mais odiado pelos contribuintes e dos que mais tempo demora a resolver as reclamações dos contribuintes? Será que os auscultados gostam tanto assim da celeridade das cobranças, que nem se importam com a morosidade nas reclamações?
Outro dado muito curioso deste estudo, foi a revelação do senhor ministro das Finanças de que há melhorias na função pública, dando como exemplo o rejuvenescimento dos funcionários. Curioso, porque a idade média dos funcionários tem aumentado a olhos vistos, e as admissões têm estado praticamente congeladas, à excepção do seu próprio ministério.
Eu concluo com um dito popular – querem galinha gorda por pouco dinheiro?

*** * ***
Fotografia
Ловец снов

Ловец снов

*** * ***

CARTOON

Steve Sack
John Cole

10 comentários:

quintarantino disse...

Eu também podia encomendar um estudo se tivesse o dinheiro que o INA aparenta ter.
Mas, aqui entre nós, caro Zé Povinho, esses senhores existem para quê? E fazem o quê?
Mas olhe, eu sinto-me extremamente motivado. Ando mesmo tentado a propor ao Senhor Ministro passar a trabalhar mais e receber ainda menos. Sei lá, pode ser que o défice passe a superavit e assim já me veja livre da carantonha daquele Figueiredo que anda por aí a fazer de conta...

Vieira Calado disse...

O ministro é mais que um demagogo.
Anda a chular-nos.
Quer um outro bom exemplo?
Acabo de ouvir na Antena 2 que, somos quem menos investe em matéria de Cultura, na U.A., a seguir à Roménia!
Querem ou quê?, com este desprezo pelas pessoas que têm pouco ou nada?
Um abraço.

Tiago R Cardoso disse...

Para começar isto não foi um estudo mas sim uma sondagem ainda por cima muito pequena.

Quanto ao privado trabalhar melhor que o publico, mantenho o que disse no Notas, questões de preconceitos.

Belzebu disse...

Gostaria ainda saber, qual o peso que o factor "motivação", teve neste estudo.

De facto, como dizia o outro..."chapéus há muitos, seus palermas", e quem diz chapéus, diz estudos encomendados. As amostras são criteriosamente escolhidas, em função dos resultados pretendidos, ou não parece?

Felizmente já vamos conhecendo a forma pouco séria como nos costumam tratar e desvalorizamos por completo estes estudos caídos do céu...ou do inferno!

Aquele abraço infernal!

Sulista disse...

Os estudos/estatísticas, não passam disso mesmo...encomendas!para depois poderem dizer as bacuradas que quiserem, como foi o caso.

Dependendo de quem encomenda, os resultados saiem duma maneira ou doutra ;-)


Bjs

Sulista disse...

Gostei do cartoon do Jonh Coole ;-)

SILÊNCIO CULPADO disse...

Estudos à medida das conveniências. E ainda por cima com o dinheiro do pagode. Haja paciência!
Bom post, Zé.

Meg disse...

Olha Zé, Talvez daqui a pouco possamos mesmo deixar de comer. Depois? Depois acontece-nos o mesmo que ao burro do senhor inglês.Remédio santo!
Não será isso que "eles" querem?

Um abraço

Laurentina disse...

Esse senhor , tem uma lábia que só visto ...também o ouvi !
Que Deus lhe perdoe a ele e à comandita dele .

Onde é que ja se viu um estudo encomendado com uma amostra de 300 pessoas ...isso não é vinculativo nem aqui nem na china ...é treta .

Beijão grande

J.G. disse...

Eu acho que vou encomendar um estudo para saber se estou bem ou mal pago!
Vou mandar entrevistar professores em Espanha e dar-lhes conta do meu vencimento.

Vão mas é estudar novas formas de intrujar o próximo, que nestas o pessoal já não cai!...

Um abraço.