quarta-feira, junho 26, 2013

DO QUE O PAÍS PRECISA



Passos Coelho como qualquer liberal de direita, não gosta de greves e de grevistas, mas por força da Constituição tem que os admitir, dizendo respeitar o direito à greve.


Contrariado e fulo por saber que a greve geral é devido à sua má governação, e às péssimas medidas políticas e económicas que tem vindo a forçar, contra a opinião popular e contra as próprias promessas eleitorais, tem mostrado a sua crispação e o pouco à vontade perante esta forma de luta.


Quando um primeiro-ministro que se prepara para revelar os planos para o maior despedimento colectivo alguma vez visto neste país, vem dizer que o país precisa menos de greves e mais de trabalho e rigor, acaba por cair no ridículo.


Afinal esta greve é contra as políticas que tantos desempregados tem causado, e ainda vai causar, a favor dos direitos de quem trabalha e do rigor na aplicação das leis. Como pode Passos Coelho vir falar de mais trabalho se quer mais desempregados, ou de rigor se o seu governo não acerta uma só previsão, não conseguindo diminuir a dívida nem a despesa pública quando tem cada vez menos funcionários?


Estará Passos Coelho disposto a fazer uma consulta popular sobre as medidas que pretende implementar no resto do seu mandato? Assim evitavam-se mais umas greves e o país agradecia.



4 comentários:

Anónimo disse...

https://twitter.com/Passos_PM/status/349859072708853763

Anónimo disse...

O país precisa de outros governantes, por isso temos de correr com estes.
Bjos da Sílvia

Metalurgia das letras disse...

Renovação política é disto que o país precisa e para já!

maceta disse...

o homem tem que ser exilado para a Sicília...