quarta-feira, abril 04, 2012

INGERÊNCIA INADMISSÍVEL

Portugal é independente desde 1143, pelo menos é o que todos aprendemos ao estudar a História de Portugal, mas há indícios de que as coisas podem já não ser bem assim.

Há uns senhores que estão ligados ao que se convencionou chamar de troika, que extrapolando para além das suas competências e dos seus poderes, começaram a ter opiniões sobre a política nacional e sobre assuntos internos deste país, com a complacência e submissão de parte dos nossos políticos.

Ontem soube-se que um desses senhores, de seu nome Peter Weiss, disse que não se descartava a possibilidade dos cortes nos 13º e 14º meses para a função pública e pensionistas assumirem carácter permanente.

É lamentável que nenhum membro do governo português tenha vindo a terreiro dizendo que a medida não está sequer no acordo com a dita troika, e que portanto o senhor Peter Weiss, nem sequer a devia ter mencionado, quanto mais sugerir que a sua aplicação fosse para além do prazo definido pelo próprio ministro das Finanças de Portugal.

Talvez seja altura de recordar a intenção de retirar dois feriados nacionais ligados à independência nacional e à implantação da República, para se perceber que os nossos governantes já nem às aparências ligam, deixando que seja mais do que evidente a sua submissão a simples funcionários da Comissão Europeia.

CARTOON
Batota

4 comentários:

Campista selvagem disse...

A triste realidade...

Anónimo disse...

Boa parte da cambada que nos (des)governa vende-se por menos de 30 dinheiros.
Lol

AnarKa

zeparafuso disse...

Não admira que os Portugueses sofram tanto do caração. Não! Não estou a falar do Benfica, estou a falar deste pedaço de terra plantado à beira mar. Estes dirigentes, que se acham governates eleitos pelo Povo (enganado), tiveram (Vitor Gaspar), pelo menos uma atitude, razoável. Desmentiram o anuncio de Peter weisse no corte definitivo dos 13º e 14º meses. Foi a unica atitude decente neste tempo todo de (des)governo. Será para cumprir? Isso já é outra questão.
Abraço do Zé (o Outro)

maceta disse...

temos canalhas cá dentro...

abraço