sábado, setembro 08, 2007

O ECONOMÊS, DE NOVO

O anúncio do BCE de que não aumentaria, para já, as taxas de juro, não deu qualquer folga a quem contratou empréstimos porque, mesmo assim, vão pagar mais.
Até agora dizia-se que os bancos “antecipavam” os aumentos previstos por parte do Banco Central Europeu, mas isso começou a verificar-se mais vezes do que aquelas em que efectivamente subia a taxa do banco central, e todos começámos a duvidar dessa tal “antecipação”. Agora, e porque o argumento começou a ficar gasto e já ninguém acreditava nesta explicação, partiu-se para outra, quiçá mais realista, mas também mais preocupante.
Os bancos, apesar das injecções massivas de capital por parte do BCE, necessitam de recorrer a outros empréstimos feitos por outros bancos, que praticam entre si taxas que neste momento são cerca de 0,75% superiores às praticadas pela autoridade bancária europeia, o BCE. Esta taxa praticada pelos bancos, entre si, é a famosa Euribor que serve de base para o cálculo dos juros que pagamos pelos nossos empréstimos.
Concluindo temos que, a falta de liquidez de alguns bancos, aumentam os lucros de outros, pagando os clientes de todos os bancos a factura disso. Melhor explicado ainda, quem tem, ganha mais, quem pede também paga mais, mas quem empresta mesmo que recorra a fundos de outrem, continua a ganhar reflectindo os custos na clientela. O BCE já perdeu o controlo sobre os juros praticados. Também não parece que a autoridade monetária esteja muito preocupada com os cidadãos, pois o senhor Trichet continua a achar que o preço do dinheiro está barato (?), e agora o que interessa é cuidar do sistema financeiro.
O economês é mesmo difícil de entender, pelos cidadãos.

*** * ***
FOTOS - O PODER
Nirt

Nirt

*** * ***

CARTOON
Bob Englehart

10 comentários:

João Rato disse...

É mesmo muito de difícil de compreender, sobretudo para um cidadão como eu que nunca conheceu o Haver e dormiu sempre com o Deve.
Não compreendo mas entendo, andam-me sempre a lixar!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Venho desejar-te um bom fim de semana e dizer-te que és um dos meus 10 nomeados para a corrente da amizade.

Anónimo disse...

gosto mt das imagens!
e da homenagem ao Grande Pavarotti ;-)


Abraço

Sulista

quintino disse...

É por isso que às tantas, e numa visão muito anarquista, um tipo até possa rejubilar (mas só um bocadinho) com aqueles tipos que se apresentam num banco e dizem: isto é um assalto!
É uma forma de variar, digo eu.

J.G. disse...

Bancos são centrais de assalto autorizadas!

Não os posso nem ver!...

Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pois é Zé. E quando o mar bate na rocha quem se lixa é o mexilhão.

aryana disse...

Solidária apenas com a homenagem a Pavarotti....o grande dinossauro da voz.
Um abraço

CHEVALIER DE PAS disse...

Meu caro Zé Povinho.
Ainda bem que o encontro, andava "murtinha, murtinha" por lhe falar, queria propor-lhe o seguinte, é que trocassemos de identidade, a bem dizer eu de francês nada tenho, tornei-me numa besta de tanto ser assim tratado pela classe pensante deste país, lá dizia lavoisier, "nada se perde tudo se transforma" e transformei-me numa besta, no fundo o espelho deste país!
Vi-o a si Zé Povinho no outro dia num concurso, a bem dizer foi desclassificado vergonhosamente pelo presidente, perdão apresentador do concurso.
Então não é que o fulano, apresenta aquilo sabe-se lá porque artes, já dizia a Rita FF no Contacto sobre o mundo da televisão, e ela de certezinha absoluta que sabe bem do que fala, teve o descaramento de lhe dizer a si Zé Povinho que a sua desclassificação se devia ao facto de não ter experiência no concurso!
Que vergonha, e ainda por cima dá-lhe assim uma palmadinha nas costas, que não foi mais do que espetar-lhe um ferro daqueles compridos pelo lombo acima! E depois são contra as touradas, coitadinhos dos touros! Zé Povinho ao que nós chegamos coitadinhos dos touros, porque as bestas somos nós, que temos a mania de frequentar os sítios das "pessoas"!
Deixe lá Zé Povinho há prá aí mais concursos, vá tentando a sua sorte, e agora o apresentador faz o número da morte na arena da besta! mas coitadinhos dos toiros!
Pergunto eu que sou a besta falante, mas os fundamentos pelos quais se exclui uma pessoa/besta por falta de experiência comparativamente a outras no fundo não são os mesmos que excluem uma pessoa/besta por ordem de raça ou sexo?
A verdadeira besta do Zé Povinho!

CHEVALIER DE PAS disse...

como devem ter percebido é rita ferro rodrigues!

Zé Povinho disse...

Caro CHEVALIER DE PAS
Tenho a felicidade de não ver televisão, com a honrosa excepção do telejornal, porque estou a jantar com a família com a TV ligada, e uma ou outra corrida de Fórmula 1 ou Moto GP que me recordam interesses antigos.
A Rita não me diz nada, apesar de já me ter cruzado com ela quando me mudei para a zona onde agora vivo, nos arredores de Lisboa.
Abraço do Zé Povinho, com muita honra e orgulho.