terça-feira, março 15, 2011

DECISÕES PERIGOSAS

O mundo atravessa uma previsível crise energética com a progressiva escassez de combustíveis fósseis. Depois do uso intensivo do carvão e agora do petróleo, acrescido da necessidade cada vez maior de energia, devido ao progresso, estamos há pelo menos duas décadas perante um problema muito real ao nível energético.

Nos últimos anos temos sido confrontados perante escolhas entre as energias limpas e renováveis, e a sempre presente energia nuclear. Esta escolha tem feito com que os esforços se tenham disperso pelas renováveis, e seguras, e pela hipótese nuclear, perigosa, mas defendida por poderosos lobbies que argumentam invariavelmente com o preço e com os avanços da ciência que teriam diminuído os riscos.

A tragédia recente no Japão veio demonstrar que o perigo do nuclear é muito real, e que teria sido mais realista apostar mais nas energias limpas e renováveis. Vem a propósito lembrar que o governo anunciou mais alterações no campo das energias alternativas e na comercialização da mesma por parte dos particulares, que juntas à falta de incentivos à sua implementação em nada contribuem para a diminuição da nossa dependência energética.

A opção nuclear, que teve alguns adeptos também em Portugal, é demasiado perigosa e basta reparar que nestes dias não ouvimos nenhum dos seus apoiantes vir falar sobre a segurança das centrais nuclares e da sua indispensabilidade, como acontecia ainda há pouco tempo.



FOTOGRAFIA


CARTOON

3 comentários:

Cata- Vento disse...

Apostar no nuclear é errado como acabamos de ver porque, por mais desenvolvido que seja o país,o perigo de explosão das centrais é sempre um problema grave, muito grave, que não conseguimos combater eficazmente.
O caminho é, sem dúvida, a procura de energias alternativas porque as que temos usado esgotar-se-ão inevitavelmente.
Quanto ao cartoon, amigo, há gente que não sabe o que é democracia. E haverá! Infelizmente!

Bem-hajas!

Abraço fraterno

C Valente disse...

O mundo está com falta de tanta coisa, de moral e ética, de alimentos
e muito pela sofreguidão do homem, do poder, do dinheiro
Saudações amigas

Pata Negra disse...

A humanidade já está pagar, e ainda irá pagar mais pelo recurso á energia nuclear. Bem visto que todos queremos ter a casa quente sem questionarmos as tecnologias que estão a montante da energia que nos chega a casa. Bem visto que a competividade entre economias nos obriga a não olhar a meios! Mas ´quando é o futuro da humanidade que está em causa não pode vender ilusões. A anti-nuclear não pode ser considerado um mania de romantistas ou ecologistas! É perigoso e o Japão já devia de saber disso! A produção de energia em grande escsls só se justifica para satisfazer as necessidades industriais - para tudo o resto já existe a solução: a microgeração, dito com outro nome, a produção doméstica. Haja vontade política e as vontades comerciais desenvolver-se-ão!
Um abraço do painel