segunda-feira, fevereiro 17, 2014

A EUROPA POUCO SOLIDÁRIA

Em diversos momentos da actual crise económica que atravessamos, os parceiros europeus e muitos “especialistas” nacionais acenaram-nos com dois cenários possíveis, ou uma obediência cega aos nossos credores, sobretudo europeus, ou a saída do euro.

A Europa solidária que nos forçaram a aceitar sem qualquer consulta popular, não se tem demonstrado assim tão solidárias, nem aplica as suas regras da mesma maneira aos países mais fortes e aos países mais fracos, como se percebeu no caso dos défices excessivos.

Os programas de ajuda também não foram tão favoráveis como os pintavam, antes foram imposições de choque que acarretaram consequências sociais que levarão décadas a remediar. A recuperação dos países intervencionados, a acontecer, deixará o seu rasto de desemprego, emigração e pobreza, que debilitarão todo o tecido social comprometendo a recuperação dos países em dificuldades.

A solidariedade tão apregoada pelos governantes europeus sofreu um grande rombo nesta crise económica, mas está em vias de sofrer o golpe final com a possibilidade, já visível, de se criarem limites à livre circulação de populações como a que se prepara para acontecer na Suíça.  

CARTOONS
1

3 comentários:

São disse...

Alguma vez houve solidariedade na Europa? Viu-se logo que não, com o que aconteceu no ataque dos especuladores à Grécia...

Aliás, a União Europeia sempre foi uma manta de retalhos alinhavada pelo Euro!!


Bom serão

maceta disse...

desde o princípio considerei que a UE é uma sociedade comercial muito limitada...

Gilberto Fernandes Teixeira Teixeira disse...

"DUE" - Desunião Europeia do Euro!