sexta-feira, fevereiro 25, 2011

TEMPOS DE MUDANÇA

Os putos


Uma bola de pano, num charco

Um sorriso traquina, um chuto

Na ladeira a correr, um arco

O céu no olhar, dum puto.


Uma fisga que atira a esperança

Um pardal de calções, astuto

E a força de ser criança

Contra a força dum chui, que é bruto.


Parecem bandos de pardais à solta

Os putos, os putos

São como índios, capitães da malta

Os putos, os putos

Mas quando a tarde cai

Vai-se a revolta

Sentam-se ao colo do pai

É a ternura que volta

E ouvem-no a falar do homem novo

São os putos deste povo

A aprenderem a ser homens.


As caricas brilhando na mão

A vontade que salta ao eixo

Um puto que diz que não

Se a porrada vier não deixo


Um berlinde abafado na escola

Um pião na algibeira sem cor

Um puto que pede esmola

Porque a fome lhe abafa a dor.


José Carlos Ary dos Santos



MÚSICA


CARTOON
Diogo Salles

4 comentários:

Anónimo disse...

Os ventos são de mudança em muitos países. Recordar o 25 de Abril é sempre oportuno.
Bjos da Sílvia

Zé Marreta disse...

Uma excelente recordação e homenagem, nestes dias em que é necessário trazer cada vez mais amigos para a luta que se advinha por uma sociedade mais justa e solidária e por um sistema livre desta escumalha de políticos oportunistas e corruptos.

Saudações do Zé Marreta.

elvira carvalho disse...

E os putos têm cada vez mais fome...
Um abraço e votos de boa semana

Cata- Vento disse...

Vozes inesquecíveis que se mantêm vivas e que assim continuarão enquanto houver injustiça neste mundo cada vez mais desigual.

Bem-hajas!

Abraço fraterno