sexta-feira, dezembro 25, 2009

E DEPOIS DO NATAL?

Há rituais que se repetem em determinadas épocas do ano e depois se esquecem até ao ano seguinte, quando se volta a repescar a ideia. No Natal são muitas as individualidades que se lembram da pobreza existente, fazem discursos piedosos, aparecem em almoços e jantares promovidos por organizações que estão sempre no terreno, com um ar compungido, e logo se retiram para os salões dos palácios ou casinos que se habituaram a frequentar.

Em Inglaterra foi notícia um príncipe que passou uma noite debaixo duma ponte, pretendendo assim demonstrar que a sua preocupação vai além dos habituais discursos e eventos de caridade. Por cá, como disse, os altos dignitários ficam-se pelas fotografias de ocasião ou pelos discursos perante as câmaras de televisão, enquanto que no resto do ano apenas têm o nome ligado a comissões de honra de entidades caritativas, o que é chique.

Este ano foi particularmente mau para quem vive, ou vivia, do seu trabalho por conta de outrem ou mesmo por conta própria porque a crise acabou com muitos sonhos e com muitos projectos de muita gente.

Não creio que 2010 seja substancialmente melhor do que este ano, mas continuarei a admirar e a colaborar nos meus tempos livres, com as organizações para quem a preocupação com a miséria do nosso semelhante são uma causa permanente.

Há muito que se pode fazer, assim haja vontade e consciência cívica.



*** * ***
FOTOGRAFIA
Aleksey Vasilyev



*** * ***
CARTOON
Jitet Koestana

5 comentários:

MARIA disse...

Bem observado!
Posso furtar-lhe o gatinho ?
É fofinho demais!

Um beijinho e continuação dde boas festas.

Isamar disse...

Claro que concordo em absoluto contigo, caro Zé.Sabe muita gente que o Natal é aproveitado cada vez mais por uma cambada de hipócritas para se exibir e, logo depois, cai no esquecimento que é sua missão combater o desemprego, erradicar a pobreza, respeitar os direitos elementares do cidadão que estão consignados na Constituição... e muito, muito mais.
Um abraço fraterno
Bem-hajas!

tulipa disse...

XAMUAR

Como sempre as tuas palavras têm o dom da verdade associada à triste realidade.
SIM, este ano foi particularmente mau para minha casa - desemprego a partir de fim de Julho e um tumor maligno há pouco mais de um mês.
Que mais posso querer???

Não só a crise acabou com muitos sonhos e muitos projectos cá em casa - a doença também fez acabar com a esperança em dias melhores.

Não creio que 2010 seja melhor...

Agora, desculpa, mas tenho que dizer algo:
não estou contra quem colabora nos seus tempos livres, com as organizações para quem a preocupação com a miséria do nosso semelhante são uma causa permanente. Fico sim muito triste, abatida, dorida no meu íntimo quando não se colabora com aqueles que vivem no mesmo prédio, com os amigos que estão doentes e com a própria família e...colabora-se com estranhos, seja por que motivo for. Espero que entendas o meu desabafo!
Neste momento sinto isso e não me posso calar.

Tens toda a razão: Há muito que se pode fazer, assim haja vontade e consciência cívica.
ASSIM HAJA CONSCIÊNCIA CÍVICA...
e, infelizmente é isso que falta ao ser humano.

Votos de Feliz 2010.

Anónimo disse...

A dignidade e a Justiça são preocupações de quem sabe e dá valor ao civismo.
Bjos da Sílvia

Graça Pereira disse...

Depois de tudo, o melhor das nossas vidas, encontra-se no coração dos nossos amigos.
Um 2010 muito FELIZ!
Um beijo carinhoso
Graça