terça-feira, junho 13, 2017

RAPIDINHAS

O Turismo – Segundo os empregadores prevê-se um aumento de contratações na ordem dos 29% no sector, curiosamente não consegui descortinar nas notícias qualquer previsão sobre o aumento dos lucros e dos salários resultante do aumento do fluxo do turismo.

O Consumo - Vivemos numa sociedade chamada de consumo, contudo não se pode dizer que os portugueses são muito consumistas, como alguns economistas nos fizeram crer. Soube-se agora que os portugueses estão muito abaixo da média europeia, no que respeita a consumo, e não é difícil chegar a este resultado, tendo em conta os baixos salários praticados cá no rectângulo.


Quinta da Peninha – A gestão do conjunto do Santuário da Peninha será entregue à Parques de Sintra, que procederá, também, à sua reabilitação. Esta notícia já nem surpreende porque já se percebeu há muito que a gestão partilhada entre diversos organismos públicos nunca resultou bem, por motivos sobre os quais se devia reflectir.


3 comentários:

Zepovo Ze disse...

Não fugindo muito ao assunto tenho a dizer que em Portugal nos últimos 7 a 8 anos os ordenados tem diminuído bruscamente ,é de lamentar que só os elementos mais elevados das empresas em geral ou seja os administradores ou encarregados e afins são aumentados levando assim ao caos a vida da famílias que não tem poder de compra mesmo que façam as ditas horas extraordinárias para compor o orçamento familiar ,pois todos sabemos que é com o poder de compra dos portugueses em geral que se faz andar para a frente a economia dum Pais democrático e não só ,mas os ditos empresários Portugueses sabendo disso nada fazem para resolver esse problema só pensam no seu bem estar e no sua conta bancaria e nas suas grandes ferias e seus familiares mais diretos ,os outros que se lixem ,aqueles que trabalham nas suas empresas aqueles que lhes dão os chorudos lucros recendo em troca salários de fome que são autenticamente explorados tanto jovens ou afins que ao fim do mês querem pagar uma renda de casa e os míseros 500 ou 600 euros não chegam pois as rendas atuais são tão altas que ou se paga a renda ou se come .....e todos sabem disso ,por essa razão é que em Portugal há miséria e fome escondida ...mas todos tem vergonha de o mostrar para não ficarem mal vistos pela sociedade em geral ...são tempos modernos que a isso levam ,enquanto a vida folgada dos empresários está cada vez mais rica e luxuosa ...assim vai Portugal uns tem tudo e a maior parte nada tem mesmo trabalhando a sol a sol .
Perguntem a alguns empresários porque razão não aumentam os seus trabalhadores , e logo tiram as conclusões ,aparecem desculpas e mais desculpas e até chegam mesmo com a tal grande mentira "a minha empresa não suporta os aumentos dos empregados " caso contrario fecho as portas ....pois mas há sempre dinheiro para os paraísos fiscais e fuga aos impostos ,há sempre dinheiro par esbanjar em grandes ferias com as família em países tropicais e afins ,para comorar grandes carros de ultimo modelo ,para comprar grandes casas de grandes luxos para ferias e afins e há sempre dinheiro para esbanjar em grandes luxos ....enquanto que trabalha e produz grandes lucros para esses senhores passa quase fome e não pode sustentar os seus filhos e vive quase de esmolas .......tenho dito ....!!!

maceta disse...

Para não falar de tantas situações destruidoras do bem estar, é bom ter em mente que vai a caminho de 10 anos que as reformas não são aumentadas, exceptuando as mais baixas que continuam a não permitir uma vida decente... e esta é uma forma excelente para reduzir o valor real do poder de compra. Quando eles dizem que o povinho viveu acima das suas possibilidades convem lembrar que quem rebentou com a economia foram os que dominam a "massa".

um abraço e que venham melhores dias

Anónimo disse...

O tuga produz pouco, porque metade não se fatura, e as despesas, mesmo as de casa, são atiradas para as empresas, que sistematicamente dão prejuízo. Os patrões têm carrões, viajam para o estranjeiro, têm casa de luxo, mas não podem pagar mais aos funcionários. Obriguem a justificar os sinais exteriores de riqueza, como nos EUA, e vão ver ver o que acontece. Têm medo de inverter o ónus da prova quanto aos rendimentos? Não tenham, porque isso só interessa aos exploradores...
Joca