quarta-feira, março 06, 2013

MONOPÓLIO PARTIDÁRIO



Como seria de esperar, os partidos políticos nacionais não concordam com candidaturas independentes às eleições legislativas, oficialmente pelos mais diversos motivos, o que é curioso numa altura em que a classe política está tão desprestigiada.

Uma particularidade é comum à preocupação de alguns partidos, é a possível falta de um programa eleitoral dessas candidaturas independentes, que os responsabilizaria perante o país e perante os eleitores.
 
O argumento que preocupa alguns políticos não tem qualquer razão de existir, quando todos constatamos que os sucessivos executivos que alcançaram o poder em Portugal, prometeram coisas totalmente contrárias às que praticam e praticaram quando ascenderam ao poder, e não foram nunca impedidos legalmente. Recordo até que mesmo indo contra o que prometeram sempre se afirmaram legitimados pelo voto, e só admitiram perder essa legitimidade novamente nas urnas.
 


6 comentários:

C Valente disse...

E partidos querem é viver custa do pote do estado, e por isso não lhes convém independentes que lhes tirem o tacho
saudações amigas

enquanto não se acabar com os tubarões eles vão comendo tudo

Jorge P.G disse...

Não seria de esperar outra coisa dos partidos. O exemplo "Grillo" assustou-os, como de resto já previra.
Agora, os argumentos usados são tão pífios que nem dá para acreditar que não tenham um pouco mais de imaginação.
Quem diz aos partidos que um qualquer Movimento de cidadãos não pode ter um programa eleitoral?

Um abraço.

São disse...

O que os Partidos receiam é o que aconteceu em Itália recentemente e que já acontecera no Brasil!!

Um abraço

O Puma disse...

A questão é saber
quem são mais manipuláveis

os Partidos ou os "independentes"?

O Puma disse...

A questão é saber
quem são mais manipuláveis

os Partidos ou os "independentes"?

Anónimo disse...

http://viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/10/origem-da-fortuna-da-familia-de-socrates.html