terça-feira, dezembro 21, 2010

NATAL

Se considero o triste abatimento
Em que me faz jazer minha desgraça,
A desesperação me despedaça,
No mesmo instante, o frágil sofrimento.

Mas súbito me diz o pensamento,
Para aplacar-me a dor que me traspassa,
Que Este que trouxe ao mundo a Lei da Graça,
Teve num vil presepe o nascimento.

Vejo na palha o Redentor chorando,
Ao lado a Mãe, prostrados os pastores,
A milagrosa estrela os reis guiando.

Vejo-O morrer depois, ó pecadores,
Por nós, e fecho os olhos, adorando
Os castigos do Céu como favores.

Manuel Maria Barbosa du Bocage

9 comentários:

C Valente disse...

Boa escolha, saudações amigas com votos de Boas Festas

Cata- Vento disse...

Celebremos o Natal feito de Paz, Harmonia, Amor e Solidariedade. O consumismo em que a sociedade capitalista o transformou é uma farsa que ainda mais acentua as desigualdades sociais.

Bom Natal!

Bem-hajas!

MARIA disse...

Belíssimo meu amigo.
Um santo natal, com festas verdadeiramente felizes para si e todos os seus.

Um beijinho

Blog da Anabela Jardim disse...

Bela poesia! Tirando o lado consumista da festa, o Natal é uma ocasião muito especial para todos os cristãos. Feliz Natal e um 2011 repleto de realizações. Obrigada pela visita ao meu blog.

FERNANDINHA & POEMAS disse...

QUERIDO ZÉ... CONTINUA LINDO O TEU BLOG... ADOREI VOLTAR A LER-TE... PARABÉNS AMIGO... UM SANTO E FELIZ NATAL... ABAÇOS DE CARINHO,
FERNANDINHA

C Valente disse...

Santo Natal com saudaçõs amigas

Pata Negra disse...

Amor e Boas Festas todo o ano e pelo corpo todo!

Pata Negra disse...

Amor e Boas Festas todo o ano e pelo corpo todo!

Meg disse...

Zé,

Para ti e para os teus, um Natal Feliz, com paz, alegria, saúde e algum humor.
Esse boneco de neve tem a vida curta.
Um beijo da
Meg

http://recalcitrante-meg.blogspot.com