terça-feira, dezembro 08, 2009

AMBIENTE, ECONOMIA E DESASTRE

A humanidade começa a aperceber-se de que o tipo de desenvolvimento económico seguido nas últimas décadas é errado, insustentável e capaz de conduzir a humanidade ao caos e à extinção, mesmo antes do planeta ficar inabitável.

Da luz solar, virtualmente inesgotável, a energia que usamos começou a basear-se nos combustíveis fósseis, e o desenvolvimento possível parecia estar à disposição do homem, o aumento da população foi uma realidade, e com ele a exploração intensiva dos solos, dos minerais, da água e de tudo o que a sociedade ia exigindo.

O erro foi descoberto há décadas, e os alarmes de que os combustíveis baratos eram finitos surgiram, mas foram colocados na gaveta porque esse é o destino das notícias que possam perturbar o mercado e o lucro. O planeta constantemente agredido pelo desenvolvimento selvagem, começo também ele a enviar os seus alertas bem visíveis, as alterações climáticas ficaram evidentes, as catástrofes aumentaram, e muitos outros sinais estão aí para que cada um de nós se detenha para pensar no futuro dos nossos filhos e netos.

A fome, disso não tenham dúvida, será a primeira praga a assolar as criaturas deste planeta, e como parceiros desta praga surgirão as epidemias e pandemias, bem como as convulsões sociais. Será que já todos se detiveram um pouco a pensar neste problema?

As festividades de Natal são muito respeitáveis, mas o consumo pode muito bem ser limitado, a solidariedade pode ser mais efectiva e as ideias podem ser também mais construtivas, e as futuras gerações podem assim vir a ter hipóteses de sobrevivência tentando remediar os estragos que a nossa geração causou, e de que tarda a arrepender-se.

*** * ***
FOTOGRAFIA



*** * ***
CARTOON
Jitet Koestana

Jitet Koestana

7 comentários:

Pata Negra disse...

Será preciso sofrermos muito mais para ganharmos consciência de que é preciso empreender um verdadeiro processo revolucionário. Até lá, cada povo terá um sócrates e umas cimeiras para se entreter.
Isto está a aquecer de tal forma que a festa vai acabar à porrada.
Um abraço climatizado

Anónimo disse...

É a economia, estúpido!
Não sei se lembra da frase mas é a verdade maior desta geração maldita, só que ainda não foi interiorizada.
Lol

AnarKa

Jorge P.G disse...

Cabe acada um ter a consciência do estado do palneta, mas aos responsáveis governamentais cabe dar o exemplo.
Não creio que a cimeira de Copenhaga esteja a correr muito bem no sentido da tomada de decisões de fundo a nível mundial, antes se pretendendo fazer acordos que libertem os países ricos de grandes contenções no que diz respeito à poluição.
Perante isto...

Um abraço do sineiro.

Ferreira-Pinto disse...

Não concordo quando o PATA NEGRA diz que será preciso sofrermos muito mais, porquanto creio que muitos, a nível individual, já sofrem quanto chegue e sabem que tal como se vai andando, não se vai lá. Falta ganhar consciência colectiva, isso sim!

Meg disse...

Zé,

o mercado e o lucro... enquanto forem estes os objectivos a atingir, continuaremos a patinar até à queda fatal.

Estamos a ver o mundo a esboroar-se à nossa volta e continuamos a assobiar para o lado.

Os que passam fome, esses não, esses gritam mas ninguém os ouve.

Um abraço

São disse...

Acerca deste tema estou lendo um livro, que considero facinante, de Jared Diamond: "Colapso - Ascensão e Queda das Sociedades Humanas".

Mas, desgraçadamente, as empresa só se preocupam com lucros e os Governos com votos...

Fique bem.

C Valente disse...

saudações amigas