segunda-feira, agosto 06, 2012

PRAIA DO ESQUECIMENTO


Fujo da sombra; cerro os olhos: não há nada.
A minha vida nem consente

rumor de gente

na praia desolada.


Apenas decisão de esquecimento:

mas só neste momento eu a descubro

como a um fruto rubro

de que, sem já sabê-lo, me sustento.


E do Sol amarelo que há no céu

somente sei que me queimou a pele.

Juro: nem dei por ele

quando nasceu.


David Mourão-Ferreira

FOTOGRAFIA 

CARTOON 


3 comentários:

maceta disse...

lembro-me bem dos programas ele na televisão...

Metalurgia das letras disse...

Amigo! Que belo poema temos por cá... Parabéns pelo refinado gosto poético. Estou a colecionar suas flores espero não está sendo inconveniente.

O Puma disse...

O nosso David