quarta-feira, março 12, 2014

QUEM NÃO É POR NÓS…

Este governo já demonstrou que tem uma estratégia de empobrecer o país, argumentando sempre com directivas vindas do exterior, mas indo sempre um pouco mais longe, numa posição de bom discípulo, tentando fazer passar a ideia de que será possível assim ganhar as boas graças dos credores e vir a pagar a dívida do Estado que entretanto se encarregou de “engordar” grandemente.

Se a estratégia se encaixa bem numa opção política que é bem clara para todos, ainda que prejudicial para o país e para a maioria dos cidadãos, os resultados são desastrosos apesar de toda a propaganda governamental.

A dívida já não pode ser paga, e só a sua reestruturação permitirá ao país crescer o suficiente para tornar sustentável o país. Note-se que só para pagar os juros da dívida, a preços do programa de assistência, o país teria que crescer a uma taxa superior a 2%, sem amortizar nada e sem investimento público.

Não é para admirar que tenha surgido um manifesto a defender a reestruturação da dívida pública, que foi assinado por muitos “notáveis” de diferentes quadrantes da nossa sociedade, nem admira que Cavaco Silva tenha exonerado dois dos seus conselheiros, por terem posto a sua assinatura no documento.


Definitivamente o governo e o presidente da República ficaram dum lado da barricada enquanto que toda a oposição e a maioria da sociedade portuguesa escolheram o outro lado, demonstrando-se o “divórcio” entre o poder e o país que já era evidente há bastante tempo.

FOTOGRAFIA
By Palaciano

3 comentários:

Anónimo disse...

Qual crise ,só o pobre é que sente e vai ser pior !!!


http://apodrecetuga.blogspot.pt/

Anónimo disse...

ACORDAI PORTUGUESES

http://www.youtube.com/watch?v=vURB904XIDA&feature=related

Anónimo disse...

http://apodrecetuga.blogspot.pt/