quarta-feira, agosto 15, 2018

domingo, agosto 12, 2018

PORTUGUESES DE ONTEM E DE HOJE


Quando se manifestam por aí uns quantos sábios, pregando que os nossos antepassados foram uns cruéis piratas, que aterrorizaram povos de paragens então distantes, e depois os subjugaram, escravizaram e exploraram, cada vez mais estrangeiros, e de todas as paragens, procuram Portugal para visitar, viver ou investir.

O povo português enfrenta hoje inúmeros problemas, tal como no passado, mas com altos e baixos naturalmente, nunca fomos piores do que os outros, apesar do nosso espírito latino, impulsivo e bastante desorganizado.

As razões que fazem de Portugal um país bastante procurado, não são a nossa riqueza, ou outros valores materiais, com toda a certeza, mas sim a nossa maneira de lidar com todos, a nossa tolerância, e a segurança, apesar do que dizem os tais sábios. A nossa maneira de estar no mundo nada tem que ver com o que dizem esses senhores, por muito que isso lhes custe.



sexta-feira, agosto 10, 2018

UMA SALA SALA DE JANTAR NO PAÇO DE SINTRA

Há alguns dias publiquei aqui umas fotos de recriações de mesas reais, sendo que uma delas era do antigo Paço Real de Sintra, que agora tento enquadrar minimamente para uma melhor compreensão por parte dos menos conhecedores.

Fotografia da Sala das Pegas (Palácio Nacional de Sintra), decorada com uma mesa real.

Esta será a fotografia mais antiga que eu conheço duma mesa de jantar montada na Sala das Pegas, ainda antes da colocação na mesma da lareira monumental que hoje lá se encontra. É de salientar a presença dos dois louceiros que voltaram ao Palácio de Sintra para esta exposição (o do meio também existe mas o seu espaço está agora ocupado pela lareira).

Esta aguarela da Sala das Pegas, em que se vê montada uma mesa para um almoço real, terá certamente influenciado a mesa que recentemente foi posta nesta sala, e que se vê na primeira foto.

Não podemos esquecer que nesta sala, o actual Quarto de D. Sebastião, também funcionou a Sala de Jantar dos reis, que tinha como sala de apoio (sala de trinchar) aquela que é conhecida hoje como Sala de César.

terça-feira, agosto 07, 2018

PERSONALIDADE

O que está em causa é a maneira como se vive. Acima de tudo, importa que uma pessoa tenha sempre presente a vontade de se proteger, um instinto fatal. Nunca chegaremos a lado nenhum se baixarmos os braços e deixarmos que nos ataquem. O sentimento crónico de impotência acaba por corroer o ser humano por dentro. 

Haruki Murakami










Universidade de Aberdeen (Biblioteca)

domingo, agosto 05, 2018

COMBOIOS DE PORTUGAL


Quando atravessamos um a vaga excepcional de calor, como a que vivemos agora, é mais fácil perceber a necessidade de se fazer uma utilização racional dos transportes públicos, de modo a reduzir a emissão de poluentes na atmosfera, mas nem sempre isso nos é possível.

Reparem que em pleno Verão, e numa altura em que o turismo atinge o seu ponto mais alto, a CP decidiu diminuir a sua oferta, tanto nas zonas urbanas como nas grandes distâncias, e pasme-se, os cortes atingem as horas de ponta para quem trabalha, pela manhã e ao final da tarde.

Sejam quais forem as razões, falta de investimento, envelhecimento do material, falta de pessoal de manutenção, ou incompetência na gestão ou nas directivas políticas, o que é verdade é que o cidadão contribuinte e os utilizadores dos transportes públicos merecem melhores serviços e mais qualidade, e não isto.


Comedores de batatas de Vincent van Gogh

quinta-feira, agosto 02, 2018

SUGESTÃO


Nos últimos anos os diferentes governos têm organizado campanhas nas fronteiras terrestres, para sensibilizar os automobilistas, sobretudo os nossos emigrantes, para os cuidados a ter na condução especialmente nesta época de Verão.

Pode-se pensar que todos os condutores encartados conhecem as regras (o código das estradas), e que o resto é tudo uma questão de bom senso, mas na realidade a presença da autoridade, as instruções escritas, e umas quantas palavras, contribuem para a diminuição dos comportamentos de risco, que bastas vezes redundam em graves acidentes rodoviários.

A sugestão que se segue foi escutada numa mesa de café, onde três pessoas ligadas a museus e ao turismo cultura trocavam experiências do terrível mês de Agosto.

O Ministério da Cultura devia aproveitar estas campanhas rodoviárias, com a sua presença e acção, distribuindo encartes sobre os nossos museus, palácios e monumentos, ao mesmo tempo que podia fornecer algumas dicas sobre as regras de comportamento nesses estabelecimentos, apelando ao civismo e ao orgulho de ser português.

Podem dizer que também é desnecessário, mas perguntem aos trabalhadores do sector, e ficarão a perceber a razão pela qual todos entram em stress sempre que chega o mês de Agosto.