quarta-feira, junho 28, 2017

AS SOCIEDADES E OS SEUS SINAIS...

A vida em sociedade, por vezes, torna-se difícil, porque os sinais que recebemos são confusos, e porque os comportamentos nem sempre são os mais recomendáveis...

Posições a evitar...
Maus costumes...
Confuso?

segunda-feira, junho 26, 2017

A CULPA NÃO É DE TODOS.

Demorou a chegar, mas como é habitual nestas coisas em que estão envolvidas responsabilidades políticas, há sempre quem venha dizer que as culpas são de todos, começando pelos comentadores da praça, diluindo assim as responsabilidades, e acentuando assim as diferenças entre os portugueses das diversas tendências, que souberam unir-se após as desgraças.

É fácil dizer que a culpa começou no Adão, que comeu a maçã, que o D. Afonso Henriques não devia ter batido na mãe, que o D. João I perdeu uma boa ocasião para estar quietinho e que o D. João VI devia ter ficado no Brasil a comer coxinhas de frango, para assim ilibar quem actualmente tem responsabilidades políticas em sectores que falharam rotundamente, e que não têm vontade de abandonar o poleiro, mesmo que deixem o governo arder em lume brando.

Com disparates destes estamos a culpar os bombeiros, a polícia, os habitantes das áreas atingidas, os mortos, os sobreviventes, os eleitores, os não-eleitores, e estamos a contribuir para que tudo fique na mesma e para que quem aceita lugares de responsabilidade, continue a achar-se inimputável. 

Como dizia um amigo meu, a culpa, em última instância, é do segurança que abriu a porta e deixou entrar no ministério alguém que falhou nas suas funções de defende a causa pública e os portugueses. Demita-se o segurança!


sexta-feira, junho 23, 2017

CAPELA DO PAÇO DE SINTRA - DÚVIDAS


Foi-me colocada uma pergunta interessante sobre um par de janelas que existem nas paredes laterais junto ao altar-mor da Capela do Paço de Sintra, porque segundo os Paços Medievais Portugueses, de Custódio Vieira da Silva pág. 213, datarão da época do rei D. Afonso V. A pergunta era realmente se eu concordava com afirmação.

Não me creio à altura de refutar um especialista na matéria, mas posso manifestar as minhas dúvidas, que se prendem sobretudo com o que se pode constatar em fotos de inícios do século XX, que coloco abaixo, onde não descortino as janelas, apesar do ângulo ser muito apertado, mesmo na segunda.

Quanto ao espaço "onde o rei se esconde atrás da cortina", referido no texto, bem podia ser a tribuna real, situada do lado direito na foto, que tinha de facto uma cortina.

Como já afirmei, não tenho certezas, mas também não encontrei nenhuma evidência que comprove que as minhas dúvidas são infundadas.

0

quinta-feira, junho 22, 2017

UM OLHAR DE ÉPOCA

Em diversas ocasiões tenho tentado mostrar que os julgamentos históricos não podem ser feitos com o olhar dos nossos dias, e com o conhecimento actual, mas sim tentando "ver os factos" com um olhar da época e com os conhecimentos e sentido moral vigente à época, dos lugares e dos povos em questão. É difícil, mas não impossível, e isso deve ser feito por quem tem essa responsabilidade: os historiadores e investigadores dessa área.

Sem qualquer pretensão na matéria, pois sou apenas um curioso, aqui vos deixo um pequeno texto de João de Barros, um historiador na verdadeira acepção da palavra que se debruça aqui sobre o julgamento histórico...


segunda-feira, junho 19, 2017

O FOGO

Neste momento são muitas as questões que se colocam a muitos portugueses, depois de conhecida a extensão da desgraça resultante dos incêndios dos últimos dias. Ouvi muitas perguntas, e deixo aqui algumas que acho pertinentes:

- Os guardas florestais não eram necessários?
- Quando é que os meios aéreos afectos aos incêndios passa para a         força aérea?
- Quantas corporações de bombeiros e câmaras municipais têm máquinas de rastos?
- Já foi equacionado o uso de drones para ajudar no combate a incêndios?
- Quantas autarquias ou responsáveis por vias de circulação actuaram na limpeza das estradas?
- Qual é a autoridade que fiscaliza o estado de limpeza em torno das vias rodoviárias?
- Quanto custa ao erário público e ao país um ano de incêndios?


sábado, junho 17, 2017

UMA BIBLIOTECA DE SONHO

A Biblioteca e Casa da Cultura de Vennesla, Noruega, que se pode ver nas fotografias deste post, é o resultado da construção do projecto que ganhou um concurso, ganho pela firma Helen & Hard, e ficou pronta em 2011.

0
0
0

quinta-feira, junho 15, 2017

FACES NEGATIVAS DO TURISMO

Aproveitando uns dias de férias, lá cirandei hoje por Belém como turista, e posso dizer que fiquei mal impressionado com o rumo que a zona está a levar.

O número de Tuk Tuk, o meio de transporte típico nacional, que por lá circulam e se encontram parados em locais inapropriados é assustador. As lojas de recordações (made in China), curiosamente com funcionários de aspecto asiático, e os restaurantes regionais anunciando comida japonesa e já se encontram pela zona, tudo a promover a nossa cultura.

Passando pelo jardim fronteiro aos pastéis de Belém, e como estava um dia de calor e era feriado, apresentava um elevado número de pessoas aproveitando as sombras (e a relva), sendo visível que os contentores de lixo estavam cheios e as embalagens vazias do muito português hambúrguer, estavam espalhadas pelo chão, como convém.

Felizmente encontrei um restaurante verdadeiramente tuga, que conhecia bem, onde ainda se come boa comida nacional, mas os clientes eram também eles nacionais, porque os estrangeiros enchiam as esplanadas comendo as suas saladas, e algumas vezes as comidas que eles acham exóticas e ainda não normalizadas pelas multinacionais ou pelos patos bravos que esmifram os turistas até ao tutano.


O que nos distingue dos outros povos e dos outros países está a desaparecer a olhos vistos, e com isso lá se vai o negócio, e o trabalho, meus caros… 

Very Typical ... in Thailand

terça-feira, junho 13, 2017

RAPIDINHAS

O Turismo – Segundo os empregadores prevê-se um aumento de contratações na ordem dos 29% no sector, curiosamente não consegui descortinar nas notícias qualquer previsão sobre o aumento dos lucros e dos salários resultante do aumento do fluxo do turismo.

O Consumo - Vivemos numa sociedade chamada de consumo, contudo não se pode dizer que os portugueses são muito consumistas, como alguns economistas nos fizeram crer. Soube-se agora que os portugueses estão muito abaixo da média europeia, no que respeita a consumo, e não é difícil chegar a este resultado, tendo em conta os baixos salários praticados cá no rectângulo.


Quinta da Peninha – A gestão do conjunto do Santuário da Peninha será entregue à Parques de Sintra, que procederá, também, à sua reabilitação. Esta notícia já nem surpreende porque já se percebeu há muito que a gestão partilhada entre diversos organismos públicos nunca resultou bem, por motivos sobre os quais se devia reflectir.


domingo, junho 11, 2017

terça-feira, junho 06, 2017

ENTRADAS GRÁTIS NOS MUSEUS

O anúncio de entradas gratuitas nos museus, palácios e monumentos sob a alçada do Ministério da Cultura, nas manhãs dos domingos e feriados, feito numa altura em que o ministro está sob fogo cerrado devido aos acontecimentos no Convento de Cristo e no Mosteiro dos Jerónimos, despoletados por notícias da comunicação social, soou a manobra de diversão muito conveniente nesta situação embaraçosa.

Esta medida que até já estava prevista e aguardava regulamentação, é encarada por muitos agentes culturais com alguma cautela e preocupação, porque existem equipamentos que já atingiram os seus limites de capacidade de acolhimento de visitantes, ou estão à beira disso.

O Ministério da Cultura deverá, na regulamentação das gratuitidades, acautelar a segurança dos visitantes e dos funcionários, prevendo situações de emergência, tendo por isso que dotar os serviços com pessoal suficiente e com planos de emergência bem elaborados e testados, para que tudo possa correr com tranquilidade em todos os serviços.


Outra coisa a acautelar será o problema das agências de viagens, que naturalmente saberão aproveitar estas gratuitidades em seu proveito, e agendarão as visitas para o período da manhã dos domingos e feriados, mesmo que tenham recebido o valor das entradas por parte dos clientes. Esta situação tem sido recorrente, com os turistas a tirar os seus bilhetes grátis, aumentando as filas de alguns monumentos, depois de terem sido informados sobre o que iam ver, pelo guia que os acompanha no autocarro até ao local.

Cartoons interessantes 

sexta-feira, junho 02, 2017

OS GESTORES MARAVILHA

Em Portugal para além dos futebolistas e seus treinadores, existem mais uns quantos indivíduos que auferem, ou auferiram, salários escandalosamente altos, cuja justificação parecia ser a excelência dos resultados que conseguiam para as empresas que comandavam.

É do domínio comum que as empresas não podem crescer sempre a taxas elevadas, dando a cada ano que passa cada vez mais lucros aos seus accionistas, porque existem os limites impostos pelo mercado (a procura), e porque também se tem que contar com o investimento que faz parte da sustentabilidade.

Alguns senhores gestores tugas não conseguiram resistir à pressão dos accionistas e à sua própria vaidade, e vai daí recorrerem à “criatividade”, que em linguagem corrente é conhecida como “falcatrua”, enganando tanto os patrões como o próprio Estado, com esquemas mais ou menos elaborados, mas que algum dia teriam de ser descobertos.


Muitos dos “gestores de sucesso” deste rectângulo, alguns deles condecorados pelo poder político, esqueceram-se da frase de Abraham Lincoln: “Pode-se enganar a todos por algum tempo; Pode-se enganar alguns por todo o tempo; mas não se pode enganar a todos todo o tempo…”.

Leitura sugerida AQUI