domingo, abril 23, 2017

A BIBLIOTECA CONGELADA

Uma das mais bonitas bibliotecas do mundo é a do Palácio Nacional de Mafra, disso não temos dúvidas, e é por isso mesmo que falo dela.

Li há dois dias uma notícia num jornal, e o que mais me chamou à atenção foi precisamente o título, que pelos vistos foi tirado das declarações do director do monumento, e que era “a biblioteca de Mafra está congelada e isso é bom”.

Este título não é para se ler duma forma literal, eu sei, mas é curioso como a minha opinião também se podia descrever quase com as mesmas palavras.

Todo o monumento é um perfeito congelador em boa parte do ano, e as temperaturas são muito constantes, o que é bom para a conservação, mas não será simpático para quem lá trabalha, a menos que seja num escritório climatizado. Eu diria que o monumento parece estar congelado no tempo, que pela falta de cuidados na conservação do edifício, quer na informação disponibilizada no percurso museológico.

Curiosamente, e referindo-me especificamente à biblioteca, notei pela notícia que ainda se desconhece muito sobre os livros que lá se encontram, e pelo que me disseram numa visita feita no ano passado, os muitos volumes que lá se encontram não estão digitalizados, e nem sequer é público o espólio existente naquele espaço.


É uma pena que muita coisa esteja “congelada”, e acredito que como eu, muitas outras pessoas gostassem de ter acesso a mais informação sobre esta maravilha do nosso Património.


sexta-feira, abril 21, 2017

OS “PEQUENOS” MANDÕES

Infelizmente é mais comum do que se possa pensar, existem muitas figuras sem jeito nem poder efectivo, que se fazem valer da sua posição favorável, obtida não por competência nem capacidades demonstráveis, para “poder mandar” nos outros, muitas vezes muito mais conhecedores, mais competentes e assíduos.

Pessoas desta jaez não trazem nada de positivo aos serviços, prejudicam e minam as equipas, usando os seus “poderzinhos” dividir para reinar, insinuando-se sempre perante as altas chefias como indispensáveis e capazes de resolver problemas, usando o medo e a ameaça como armas preferidas.

Há um ditado popular que encaixa na perfeição em situações destas: não peças a quem pediu, nem sirvas a quem serviu.


Chefias que não sabem escolher os seus coadjuvantes, que não sabem ajuizar sobre a competência dos seus subordinados, que não sabem defender as suas equipas, merecem falhar e ter serviços desmotivados e pouco produtivos, pois também são incompetentes para chefiar.


terça-feira, abril 18, 2017

O MEU PALÁCIO PREFERIDO

No Dia Internacional dos Monumentos e Sítios achei que devia deixar aqui, publicamente, a minha preferência pelo Palácio Nacional de Sintra, não só pela particularidade de ser o mais antigo palácio real, ou por ter sido utilizado pela monarquia durante mais séculos, mas também porque afectivamente estou ligado a este edifício e a muitos portugueses que já lá trabalharam, trabalham ou o usam nas suas vidas profissionais.


segunda-feira, abril 17, 2017

MACACADAS

 Fui desportista na minha juventude e sou um amante do desporto em geral, mas estou decepcionado com o futebol profissional que tem proporcionado momentos muito tristes.

O dinheiro que está envolvido no futebol de alta competição, o mau comportamento de dirigentes e o lamentável comportamento das claques, têm ensombrado a arte que os futebolistas colocam em campo.


Infelizmente os ideia do desporto foram eclipsados pela corrupção, pela má educação e pelo comportamento animalesco de pessoas que andam em torno do futebol…

sábado, abril 15, 2017

A INTEGRAÇÃO DE PRECÁRIOS

 O Estado é o maior empregador de trabalhadores precários, dando por isso um péssimo exemplo às empresas privadas, que aproveitam a boleia para aumentar ainda mais o universo de precários deste país.

Numa altura em que se fala na integração dos precários ao serviço do Estado, muitos convenceram-se que isto era um dado adquirido, e que todos seriam integrados nos postos de trabalho em que desempenham funções, o que não está garantido, de modo nenhum.

A integração dos precários do Estado vai passar por alguns crivos que abalam a confiança de quem está atento ao processo em fase de discussão.

Em primeiro lugar temos que os interessados que julgam reunir as condições necessárias terão 60 dias para se propor para ser oponentes ao concurso que acontecerá mais tarde.

A segunda etapa depende das chefias máximas que proporão ou não a integração destes postos de trabalho, processo que parece não ser passível de recurso no projecto inicial.

Depois destes processos existe o concurso público, porque terá que ser assim segundo o governo, e como tal aberto a todos, que segundo os critérios de isenção requeridos neste tipo de provas, coloca todos os candidatos em igualdade de condições.


Se as coisas não mudarem entretanto, nada garante que os precários agora em funções, tenham garantidas as entradas nos serviços e funções que desempenham.


quinta-feira, abril 13, 2017

O COELHO DA PÁSCOA

O coelhinho lá aparece quando falamos de ovos da Páscoa, e já nem as criancinhas acreditam que ele ponha ovos, mas lá que fica bem na imagem e é fofinho, isso é!

Páscoa Feliz para todos...


terça-feira, abril 11, 2017

BREVÍSSIMAS

Greves – Os médicos marcaram uma greve para os próximos dias 10 e 11 de Maio por ainda estarem a receber as horas extra a 50%, entre outras coisas. Os trabalhadores que garantem a vigilância, lojas e bilheteiras dos museus, palácios e monumentos, dependentes do Ministério da Cultura também vão fazer greve nos dias 14 e 15 de Abril por não verem reconhecida a carreira como especial, apesar de serem obrigados a trabalhar aos sábados e domingos sem qualquer compensação extra.


Hipocrisia – A directora-geral do Fundo Monetário Internacional vem agora dizer que a “batalha da competitividade não se ganha à custa de salários baixos”, acrescentando mesmo que é preciso “expandir as oportunidades para todos” e “melhorar as capacidades” dos trabalhadores não especializados, para que possam optar por um trabalho bom. Isto são palavras para a Organização Internacional do Trabalho ouvir, mas relativamente a Portugal critica-se o aumento do salário mínimo.
Óculos e jornais

Brexit

domingo, abril 09, 2017

TRISTEZA

Ainda há poucos dias estávamos todos indignados com um dirigente europeu que afirmou que os portugueses (e não só) gastavam o dinheiro com copos e mulheres, e que não podia ser.

Claro que o holandês foi além do razoável para um político com responsabilidades perante os portugueses, porque somos europeus, recorrendo a um estereótipo que como se sabe, não serve para classificar povos e nações independentes.

Hoje fomos todos “brindados” com uma notícia infeliz, porque uns quantos miúdos fizeram asneiras em solo espanhol, dando a imagem errada do povo português, pelos distúrbios, asneiras e bebedeiras, que não ficam bem em lado nenhum.

Jeroen Dijsselbloem ficou com mais munições para nos atirar, e o mais grave é que alguns encarregados de educação acham que os seus meninos, e restantes amigos, não fizeram nada de mais, limitando-se a ser jovens e inconscientes.


Não sei se detesto mais o holandês desbocado se os “papás supé condescendentes”. Só para rematar: há quem prefira gastar 550 euros para se ver livres dos petizes dute uma semana, ainda que tenham consciência que é para se embebedarem e fazerem todo o tipo de tropelias “normais em jovens daquela idade”.


sexta-feira, abril 07, 2017

AS TRETAS DAS ESTATÍSTICAS DO EUROSTAT

As estatísticas são sempre uma treta, mas servem de indicativo para muita gente que acaba por influenciar a nossa economia, como sejam as agências de rating, o BCE ou a Comissão Europeia, que dão mais crédito a estudos e estatísticas do que à realidade.

Fiquei a saber pelo DN que os portugueses ganham 13,7 euros à hora, que eles dizem ser metade da média do euro. Claro que não houve o cuidado de traduzir bem o que saiu do gabinete de estatísticas oficiais da União Europeia, mas mesmo assim podiam fazer as contas, e veriam que estes resultados não correspondem em nada aos salários e outras prestações que cá se praticam.

É curioso que esta estatística “diga” também que o custo hora do trabalho só baixou em 2014, e 0,1 euros, tendo aumentado todos os outros anos desde 2004 até 2016.


Paguem-me este valor hora e eu prometo estar calado nos próximos 5 anos, pelo menos.


quarta-feira, abril 05, 2017

CELEBRAR A FONTE

Museus de vários países vão celebrar a 9 de Abril o centenário da obra de Duchamp, "A Fonte", um urinol de porcelana branco, uma obra maior do dadaísmo em França, que pretendia com ela questionar o conceito da palavra arte.

Entre os museus que aderiram à comemoração deste centenário, alguns darão entradas gratuitas entre certas horas, se os visitantes disserem o pseudónimo do artista, quando este apresentou a obra em 1917: Richard Mutt. 

Muitas "Fontes"

segunda-feira, abril 03, 2017

AS COMPETÊNCIAS DIGITAIS

As metas definidas no programa do governo que aposta nas competências digitais para “mudar paradigma” económico, são interessantes, mas é necessário ter os pés no chão e reflectir sobre a realidade actual.

Aumentar o número de especialistas em tecnologias de informação, já tem sido um objectivo dos últimos anos. Fazer crescer o número de doutorados também é o que já hoje se está a tentar. Dotar todas as habitações de ligação à internet até 2030 é que é um objectivo demasiado ambicioso.

Os custos de ligação das habitações à internet, é elevado para quem aufere vencimentos baixos, pensões ainda mais baixas, e sobretudo impossíveis para quem está no desemprego.


Sinceramente não estou a ver os fornecedores de telecomunicações a baixar os preços praticados, que todos sabemos serem exagerados em comparação com os praticados por essa Europa fora. Estará o governo a pensar em intervir no mercado das telecomunicações?