segunda-feira, setembro 22, 2014

O PODER SEGUNDO MAQUIAVEL



Há uma dúvida se é melhor sermos amados do que temidos, ou vice-versa. Deve-se responder que gostaríamos de ter ambas as coisas, sendo amados e temidos; mas, como é difícil juntar as duas coisas, se tivermos que renunciar a uma delas, é muito mais seguro sermos temidos do que amados... pois dos homens, em geral, podemos dizer o seguinte: eles são ingratos, volúveis, simuladores, covardes e ambiciosos; eles furtam-se aos perigos e são ávidos de lucrar. Enquanto você lhes fizer o bem , são todos teus, oferecem-te seu próprio sangue, suas posses, suas vidas, seus filhos. Isso tudo até em momentos que você não tem necessidade. Mas, quando você precisar, eles viram-lhe as costas.



3 comentários:

Anónimo disse...


Que importa perder a vida
em luta contra a traição,
se a Razão mesmo vencida,
não deixa de ser Razão?


Eu não sei porque razão

certos homens, a meu ver,

quanto mais pequenos são
maiores querem parecer


Quando não tenhas à mão
Outro livro mais distinto,
Lê estes versos que são
Filhos das mágoas que sinto.

Uma mosca sem valor

poisa, c'o a mesma alegria,

na careca de um doutor

como em qualquer porcaria


O mundo só pode ser

melhor do que até aqui,

- quando consigas fazer
mais p'los outros que por ti!











Mentiu com habilidade,

fez quantas mentiras quis;

agora fala verdade

ninguém crê no que ele diz.


Embora os meus olhos sejam
Os mais pequenos do mundo,
O que importa é que eles sejam
O que os Homens são no fundo.

Julgando um dever cumprir,
Sem descer no meu critério,
- Digo verdades a rir
Aos que me mentem a sério!

Entre leigos ou letrados,

fala só de vez em quando,

que nós, às vezes, calados,
dizemos mais que falando.


Vós que lá do vosso império
prometeis um mundo novo,
calai-vos, que pode o povo
qu'rer um mundo novo a sério


ANTONIO ALEIXO

Anónimo disse...

http://www.publico.pt/politica/noticia/apelo-a-unidade-da-esquerda-enviado-a-nove-partidos-1670535

Gilberto Fernandes Teixeira Teixeira disse...

"Se quiser por à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder." Abraham Lincoln