quarta-feira, fevereiro 12, 2014

A LÓGICA "GENIAL" DA DEFESA

Não trilhei a área do direito, que nunca me atraiu, mas sou dos que pensa que a Justiça é essencial à Democracia, e que para isso deve ser célere, simples de entender e de interpretar, não contendo em si mesma contradições ou ambiguidades.

No caso do BPP, que agora está julgamento, não me surpreenderam as declarações de João Rendeiro, ex-presidente do Banco Privado Português, mas fiquei pasmo com as declarações do seu advogado, José Miguel Júdice.

Segundo o douto advogado, como os investidores ganharam muito dinheiro no BPP, e se queixaram logo na primeira vez que (um investimento) correu mal, não terão razão para tal, porque só queriam alto retorno sem risco.

Não se ficou por aí o advogado de defesa, que conclui que o seu cliente não pode ser punido pelo crime de burla qualificada porque não enriqueceu, nem contribuiu para que outros enriquecessem.

É formidável este raciocínio, pois segundo José Miguel Júdice, João Rendeiro não seria responsável pelos investimentos ruinosos que ditaram o afundamento do banco, que os depositantes é que eram gananciosos, e que o seu cliente é que terá sido vítima de tudo isto.


O que me preocupa ainda mais do que o caso do BPP, é que este advogado já foi requisitado ou contratado por entidades públicas e pelo próprio governo, para a feitura de leis e aconselhamento jurídico da mais variada espécie…  

2 comentários:

maceta disse...

eu tambem não serviria nunca para o exercício dessa profissão, alguns são mesmo repelentes...

abraço

Gilberto Fernandes Teixeira Teixeira disse...

Pena que a justiça é cega, ou sabe fingir muito bem...