sexta-feira, julho 26, 2013

A VERDADE E A LEGITIMIDADE



Este governo é legítimo na medida que resultou de eleições livres, contudo esta legitimidade é formal, porque há muito que perdeu a confiança da maioria dos cidadãos devido à sua propensão para faltar à verdade.

Tudo começou logo depois da tomada de posse, quando começou a fazer o contrário do que tinha prometido. As promessas foram quebradas, os objectivos foram falhando sucessivamente, as previsões estavam todas erradas, o governo falhou redondamente, e mesmo na hora da demissão os ministros recusam aceitar os seus falhanços.

A mentira na política passou a ser comum, a palavra de alguns políticos não vale mesmo nada. Hoje toma-se uma decisão irrevogável, que logo a seguir é revogável. Hoje diz-se que não se conhecia um problema, amanhã diz-se que não se conhecia era a extensão e gravidade desse problema.

O país está de rastos e isso deve-se a uma classe política que tem passado pelo poder, mostrando incompetência, falta de palavra e sem saber assumir os seus erros. Se alguma coisa deve mudar na nossa Constituição deve ser a responsabilização dos governantes pelos seus actos de gestão danosa, bem como a possibilidade da sua destituição sempre que a sua governação seja contrária ao que constava no seu programa eleitoral.

Precisamos de gente séria no governo dos nossos destinos e não de carreiristas políticos que se servem de todas as artimanhas para ascender na vida e alcançar assim o poder, sem nunca se preocuparem com as necessidades dos cidadãos a quem deviam servir. Governar é servir e não servir-se…


CARTOONS

3 comentários:

Anónimo disse...

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/economia/meio-milhao-nao-recebe-subsidio

elvira carvalho disse...

O problema é que gente séria e honesta não quer saber de políticas.
Um Abraço e bom fim de semana

Anónimo disse...

Gente séria escasseia e não está nas cadeiras do poder corrupto...
Bjos da Sílvia