segunda-feira, junho 24, 2013

GOVERNO CADA VEZ MAIS SÓ



O país chegou a um estado tão lastimável, devido às políticas erradas seguidas por este governo, que o mais improvável se tornou uma realidade: ser criticado tanto por patrões como por sindicatos.

Desde que entrou em funções o executivo de Passos Coelho tem apostado numa política de cortes sucessivos, e mesmo para além do que a troika exigia, fazendo com que os rendimentos do trabalho diminuíssem drasticamente, a economia regredisse e o desemprego aumentasse exponencialmente.

O governo sempre desvalorizou o que era evidente, teimando sempre que o país estava no bom caminho, mas a realidade desmentia cada um dos seus argumentos. A economia regrediu para valores de há duas décadas, e as campainhas tocaram, não só dentro de fronteiras mas também a nível internacional.

Os problemas económicos sempre estiveram no sector financeiro, na especulação desenfreada, e não na economia real e na dos cidadãos. Outra evidência também desvalorizada é de que sem consumo privado e sem emprego não pode haver crescimento.

Não admira que agora venha o próprio patronato, que julgava beneficiar com a baixa do custo do trabalho, dizer que : "de uma vez por todas há que ter a coragem de o assumir e a ousadia de não insistir numa receita que não é uma solução para Portugal e cuja continuidade nos pode levar para um caminho sem retorno. É preciso coragem e humildade para reconhecer que precisamos de alterar o rumo”. Estas declarações acompanharam a exigência de um “alívio fiscal” para as empresas e para as famílias, para se conseguir maior consumo e mais emprego.


CARTOON
Igor Vartchenko

2 comentários:

São disse...

O Governo está isolado, mas tem o apoio total de Cavaco!!

Ou se fazem manifestações como as que estão ocorrendo no mundo inteiro ou quando estes estupores acabarem o mandato, Portugal será uma ruína!

Tudo de bom

Metalurgia das letras disse...

Ou tomamos rumos, ou os rumos nos tomam? Boa Sorte!