segunda-feira, abril 09, 2012

CREDIBILIDADE E LEGITIMIDADE

No nosso sistema político os partidos apresentam-se a eleições com um programa eleitoral que então será sufragado pelas urnas. Políticos e políticas, em princípio, é o que os eleitores devem escolher em cada acto eleitoral.

O que se passa em Portugal é que os partidos podem fazer batota apresentando nomes que depois não querem ir para o governo ou para as autarquias, e também podem prometer uma coisa e depois fazer o seu contrário sem possibilidade de serem destituídos do poder antes de novas eleições.

Este sistema, do modo como está organizado, faz com que a classe política seja pouco confiável e também desmotiva os cidadãos de terem mais participação cívica.

É urgente encontrar-se meio de responsabilizar os políticos pelas suas decisões, e arranjar maneira de os obrigar a cumprir o que estava no programa com que se apresentaram a votos, ou então de os demitir pelo incumprimento dos seus compromissos eleitorais.

Sem se encontrarem os meios necessários e suficientes para “controlar” os governantes, estaremos sempre sujeitos a autênticas fraudes eleitorais como as que estamos a viver já há décadas.

Não se pode admitir que políticos que prometem uma coisa e depois fazem outra completamente diferente, continuem a encher a boca com palavras como legitimidade e credibilidade, atributos que não lhes reconhecemos.

CARTOON

FOTOGRAFIA

6 comentários:

zeparafuso disse...

Assino por baixo. Politicos sérios? Onde? Quem? Politicos que cometem "lapsos económicos", que serão mais "lapsos de memória". Seriedade? Houve alguém, economista, que em 2001, se a memória não me falhar, que dizia mais ou menos isto : "Austeridade é o prícipio da bancarrota". Seria este economista visionário ou louco? Pelos vistos não aprendemos nada em 11 anos, ou não teremos economistas no governo?
Abraço do Zé (o outro)

Anónimo disse...

Passos Malone - boa imagem da ladroagem vigente.
Lol

AnarKa

A. João Soares disse...

Eis aqui um bom retrato da miséria moral do nosso regime. Vota-se em listas de que se não conhecem as pessoas lá incluídas e algumas são dos piores escroques do País. Não se pode votar nos melhores portugueses, mas temos de o fazer em oportunistas, ambiciosos que abraçam a política para enriquecer muito, depressa e por qualquer forma. Haveria que mudar a Constituição mas, pelas razões apontadas, eles não querem alterar este regime que muito os favorece.
Querem continuar imunes e impunes e domesticam os juízes para lhes fazerem o jeito.

Isto já só pode mudar com umas palmadas.

Abraço
João

São disse...

Roubei o coelho.

Mas a falta de ética e probidade não é só da classe política, acho eu! Afinla, Oeiras não escolheu Isaltino já condenado?!

Com raras excepções , somos todos farinha do mesmo saco....

Bons sonhos

elvira carvalho disse...

Sabe qual é o mal dos politicos? É que são eles a fazerem as leis. Logo não as fazem para se prejudicar.
Há um ditado popular que disz bem da mentalização desta gente. Creio que é assim: "quem parte e reparte e não fica com a melhor parte ou é tolo ou não tem arte" Daí eu crer que os politicos são uns grandes artistas.
Um abraço

O Puma disse...

Um dia seremos de novo crianças
mas coelhos
só na púcara