terça-feira, agosto 30, 2011

A CARIDADEZINHA

As medidas adoptadas por este governo para resolver os problemas económicos que o país atravessa, podem ser os recomendados pela troika, e apoiados pelos melhores economistas, mas não irão produzir os resultados que nos prometem.

O país empobrece a cada dia que passa. Os ricos enriquecem nestes dias de recessão. Os bancos e os especuladores que nos conduziram a isto continuam a ser protegidos, apesar dos lucros que têm.

Perante este cenário, os portugueses que vivem do seu trabalho e das suas pensões, são ameaçados com mais desemprego, com cortes nas prestações sociais, com diminuições de salários e pensões, e com mais impostos.

Com a miséria a atingir cada vez mais pessoas, ressurge a sopa dos pobres, os cabazes de sobrevivência, as tarifas eléctricas para pobres, e agora também o passe para os necessitados. Chamam a isto, medidas sociais, mas para mim isto é caridadezinha.

Um destes dias ainda veremos todos os que necessitam de ajudas sociais, a usar uma marca que os distinga dos restantes, porque agora já é preciso mostrar a declaração de rendimentos para obter os novos passes sociais.

Podem chamar-me cínico ou mesmo idealista, mas sempre fui um adepto do lema “ não dês o peixe; ensina a pescar”. O que os portugueses precisam é de mais trabalho, e não de esmolas.


CARTOON


MÚSICA


FOTOGRAFIA
Blue by Palaciano
1.244

4 comentários:

elvira carvalho disse...

Absolutamente de acordo amigo.
Um abraço e um bom dia.

Isamar disse...

Caro Zé, temo que nos saia ainda mais caro tudo aquilo que se vai passando nos nossos dias. A miséria, a fome, o desemprego fizeram sair do país, nos dois séculos anteriores, muitos portugueses mas agora a conjuntura é diferente e essa possibilidade restringe-se a jovens qualificados que se puderem vão procurar lá fora aquilo que o País lhes nega, um trabalho à altura das suas habilitações que tão caras saíram aos pais. Neste momento, as casas de penhores,a que os pobres sempre recorreram nos meses de crise, geralmente no Inverno, deram lugar às casas de compra de ouro que proliferam pelo País. Ao que chegámos! Não ficaremos por aqui!
Bem-hajas, amigo, que tão bem analisas o nosso triste quotidiano.

Bem-hajas!

Abraço fraterno

Anónimo disse...

Quanto mais indigentes houver mais é a mão-de-obra barata à disposição dos tubarões.
Lol

AnarKa

maceta disse...

Mais um nojozito a condizer com a mentalidade destes merd..s.