quinta-feira, julho 14, 2011

O INCOMPREENDIDO

Não sei muito bem porquê, mas eu sou um dos muitos que não simpatizam com o senhor Procurador-geral da República que já nos brindou com algumas atitudes que não foram nada simpáticas.

Hoje li no título de um jornal que Pinto Monteiro terá dito que “não basta combater o grande crime”, como a corrupção, remetendo outros ilícitos para uma área considerada menor. Acho que falou em crimes contra idosos, crianças e deficientes para exemplificar do que estava a falar.

Qualquer cidadão concordará que os desprotegidos e os mais frágeis socialmente devem ser protegidos e que os crimes contra eles devem ser firmemente punidos. As preocupações sociais ficam sempre bem a um procurador, mas convenhamos que muitos dos crimes praticados sobre os mais desprotegidos derivam exactamente da sua condição de desprotegidos, e das dificuldades económicas existentes, que não permitem um acompanhamento mais efectivo dessas pessoas, e da falta de autoridades e pessoal dedicado a esse acompanhamento.

É com surpresa que se vêem mais recursos ocupados com dívidas de telemóveis do que com as tais preocupações do PGR, por exemplo, mas isso não quer dizer que o enriquecimento ilícito e o crime económico não sejam também uma preocupação real, já que muita da miséria origina o aumento da criminalidade e diminui os meios humanos e materiais necessários ao seu combate eficaz.

É difícil enfrentar o crime de colarinho branco senhor procurador, mas é indispensável fazê-lo, e isso não tem sido conseguido.


CARTOON


FOTOGRAFIA

4 comentários:

Anónimo disse...

Atacar os muitos colarinhos brancos que por aí andam é coisa que ele não faz, veja-se como tratou das trapalhadas do Sócrates...
Bjos da Sílvia

Pata Negra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pata Negra disse...

Um verdeiro combatente dos crimes de colarinho branco não pode usar colarinho branco! Mais! Não deve usar colarinho!... Bem!... Talvez uma t-shirt com um gráfico de marca ou de piada!... Não! ...O verdeiro combatente dos crimes de colarinho branco deve andar de tronco nu mas não como um pinto nem armado monteiro!
Um abraço vestido de calças Lois

mikado tá lixado disse...

colarinho quê?

é o que dá ser incompreendedo

o sousa Cintra andava de colarinho branco

os empreiteiros que passam as passas dos algarves para levantar os seus impérios de cimento

andam de colarim branco?

anda uma pessoa a lavar os colarinhos

para o chamarem de criminoso