sexta-feira, maio 13, 2011

PÊLOS NA ENGRENAGEM

O episódio dos pêlos púbicos com que Catroga nos brindou, já foi esmiuçado por toda a gente, mas o que realmente importa referir é que nem Catroga nem José Gomes Ferreira (o entrevistador), têm razão quando referem que ninguém quer discutir o tema da Taxa Social Única (TSU).

A redução da TSU, para as empresas, preconizada pelo PSD, só se justificaria em termos de competitividade se comparativamente aos nossos parceiros europeus, ela fosse mais alta, e não é.

Outro argumento que pesa para os que discordam da medida, é o facto de se atribuir aos encargos com o trabalho um peso que nos distancia da concorrência europeia, e isso é também falso.

Uma preocupação legítima de quem discorda da baixa da TSU é a que se prende com as receitas da Segurança Social, porque é evidente que existe uma desconfiança razoável quanto à eventual reposição dessa diferença de verbas nos cofres da Segurança Social, se cobrada por via de qualquer outro imposto.

Não é ruído o que se ouve e lê sobre o caso da baixa da TSU, mas sim legítimas preocupações de muita gente, sobre uma medida que favorece apenas as empresas, atirando ainda maiores sacrifícios sobre os ombros dos trabalhadores por conta de outrem, podendo até vir a fazer perigar as pensões e outras prestações sociais num futuro próximo.

Ouvir dizer que a única alternativa é baixar salários, como disse Pedro Passos Coelho, é redutor e não é sério, porque se podem baixar os custos da produção pelo lado dos preços da energia, só para dar um exemplo, que é um custo bem penalizador como se sabe.





FOTOGRAFIA


CARICATURA
Sarkozy by Rodney Pike

6 comentários:

Anónimo disse...

Arrancam-nos o coiro e o pêlo, mas só se votar-mos neles...
Lol

AnarKa

tulipa disse...

OLÁ

Há 3 dias que não tenho tido acesso ao blogger e a ver os comentários de quem me visita, parece-me que houve problemas com o blogger,
também lhe aconteceu a si?

Obrigado pela visita e pelos comentários sempre agradáveis de ler.

Bom fim de semana.
Beijinho.

opolidor disse...

É uma estratégia bem delineada, premeditada; é a oportunidade de desferir os golpes fatais que sempre sonharam. É o regresso à escravatura...
abraço

António da Cunha Duarte Justo disse...

Mais uma estratégia à margem do problema!
Querem ver os portugueses ajoelhados sem possibilidade onde se agarrarem!

Zé Marreta disse...

Qualquer que seja a "fórmula milagrosa" engendrada por estes senhores, uma coisa é certa, serão sempre os mais desprotegidos a arcar com o peso do sacrifício. Como sempre, aliás.

Saudações do Zé Marreta.

Pata Negra disse...

Aumenta tudo, todos os impostos, todas as taxas, todos os produtos e ninguém se importa sobre as consequências disso para as famílias e para a economia! Mas há sempre uma excepção: reduzir a TSU vai pôr os patrões a empregar mais gente?! Tomariam eles ter trabalho para dar?! É claro que agradecem, é encaixar mais lucros por decreto!
Tens razão, quando falas nos fundos que a Segurnaça Social perde. Disso ninguém fala! Irá haver uma compensação directa de fundos de outros imposto ou, simplesmente apenas se pretende dar mais um passo para dar cabo dela!
Assim não há segurança social que resista à sustentabilidade!
Um abraço desconfiado das boas intenções desses aforrados