segunda-feira, março 28, 2011

RAPIDINHAS

Transparência – Em tempos de aperto orçamental em que o rigor deve imperar, e em que se exige a maior contenção possível nos gastos, eis que é publicada uma lei que permite que os contratos sem concurso disparem de valor. Não sei em que é que estão a pensar os governantes, nem tão pouco o presidente da República, mas não pensam de certeza como eu.

Equívocos – Ao ler um título do DN de ontem, “Quando o Estado dá péssimos exemplos”, fiquei curioso e acabei por ler o Editorial todo, que se debruça precisamente sobre o decreto-lei que autoriza o aumento dos valores dos contratos públicos por ajuste directo. Num jornal de referência preferia ter lido um título como este, “Quando o governo dá péssimos exemplos”, que estava mais correcto. Afinal o Estado somos nós, os contribuintes todos.


FOTOGRAFIA


CARTOON
Contas à vida

A corte

4 comentários:

LopesCa disse...

Ainda bem que coloca algo bonito como a foto da rosa com assuntos da nossa triste realidade :)

Cata- Vento disse...

Sempre incisivo, sempre pertinente, sempre atento como devem ser todos os cidadãos em tempos tão difíceis como este. Quanto às contas,só espero que um dia destes não deixe de fazê-las por não haver que contar na algibeira.Haverá sempre para outros!!!!!

Bem-hajas!

Abraço fraterno

Zé Marreta disse...

Esta é mais uma medida daquilo que já pode ser considerado como uma autênticó caso de saúde pública. Este desgoverno apesar de estar demissionário continua a gozar com o povo e descaradamente continua a encher os bolsos a compadres e amigos.

Saudações do Zé Marreta.

opolidor disse...

Há actos estranhos...mais parecem um gozo.