domingo, março 20, 2011

RAPIDINHAS

Sócrates e o FMI – Sócrates diz-se indisponível para governar com o FMI, e eu começo a pensar que dentro de poucos dias Portugal vai pedir a ajuda do FMI, pedido este feito pelo mesmo Sócrates. Depois de ter ouvido o 1º dizer que não ia aumentar os impostos, que não ia cortar os vencimentos da função pública e que não teríamos mais PEC’s, e depois tudo isso ter acontecido, só posso pensar que é mais uma partida do senhor engenheiro.




Contestação – A popularidade deste governo está pelas ruas da amargura, e para o constatar basta apreciar a adesão do pessoal que está à rasca, a manifestações realizadas em duas semanas consecutivas. Estamos “quase” todos à rasca, novos, velhos, quer tenhamos emprego, estejamos desempregados, estudemos ou já estejamos reformados. Será que este governo espera que mais medidas de austeridade com que se comprometeu com Bruxelas, tenham aceitação quando apenas recaem sobre os mesmos que têm pago pela incompetência dos nossos políticos?


2 comentários:

MARIA disse...

Tudo nos é cortado.
Menos a sua criatividade que cresce sempre : parabéns pelo novo formato do blogue- está bonito.

No mais... vamos ver no que isto dará ...

Um abraço.

Cata- Vento disse...

Que mais nos pode acontecer depois destes anos de desastrosa governação? Tudo nos tem sido sucessivamente tirado e penso que este PEC IV nos irá lançar para uma situação de desespero de consequências calamitosas.
Que angústia têm sido estes úlimos seis anos de governação! Que venha lá quem vier mas mudem estes políticos e estas políticas, por favor.

Bem-hajas, amigo!

Abraço fraterno