domingo, julho 18, 2010

GESTÃO E AUSTERIDADE

Em 2008 foi criada a Base de dados de ADN, com pompa e circunstância, anunciando-se que seria um instrumento para diminuir os crimes por resolver em Portugal. Por ser mais uma base de dados sobre os cidadãos deste país, e por constar de elementos sensíveis, foi acolhida com muitas reservas e não conseguiu reunir consensos.

Polémicas à parte, resultantes mais do temor de possível má utilização do que qualquer outra coisa, o que interessa saber é exactamente em que ponto estamos passados dois anos. É aqui que a porca torce o rabo.

Sabe-se agora que o sistema tem exactamente 10 perfis de ADN e uma lista de 70 pedidos à espera. A estrutura existente para esta tarefa depende do Instituto Nacional de Medicina Legal e tem 30 funcionários apetrechados com 2 sequenciadores de um milhão de euros, para além do sistema informático CODIS.

Não sei se está tudo bem, porque lembro-me de dizerem que se previam recolher cerca de seis mil amostras por ano., mas um responsável veio a público dizer que “está a funcionar normalmente”. Não me soou nada bem o “não temos pressa…” e muito menos a afirmação de que o sistema “não é economicamente rentável”, e que a solução passaria por “perder o medo e liberalizar a inclusão na base, tornando-a universal e assegurando, desta forma, o princípio da igualdade”.

O senhor Corte-Real, que não sei quem é, não está numa corrida como bem diz, mas tem provas a dar aos cidadãos que pagam tudo isto, e dispensam bem a solução que ele alvitra, exactamente porque essa não é a sua função. Bem que podia ser mais comedido nas afirmações e mais esclarecedor quanto aos planos para o futuro próximo do organismo.



FOTOGRAFIA
By Palaciano

By Palaciano

CARTOON
O estado da nação por Rodrigo

Esquerda-direita por Arash-Divanpour

3 comentários:

Anónimo disse...

Este deve ser mais um dos que foi nomeado por alguém do governo para desbaratar verbas, e que vem dar munições aos que dizem que há funcionários públicos demais e que trabalham de menos. Destes sim, há às carradas, com camisolas rosas e laranjas sobretudo.
Bjos da Sílvia

Kássia Kiss disse...

30 funcionários conseguiram reunir 10 perfis de ADN passados dois anos? Talvez estejam a precisar de férias...
Bem, a morte é realmente um estado estabilizado, como nos diz o cartoon do estado da nação.

São disse...

Portugal está estabilizado? rrss pois...

Não temos pressa? Pois...

E que se pode mais dizer?!

Boa semana.