sábado, junho 20, 2009

PORTUGAL

Avivo no teu rosto o rosto que me deste,
E torno mais real o rosto que de tou.
Mostro aos olhos que não te disfugura
Quem te desfigurou.
Criatura da tua criatura,
Serás sempre o que sou.

E eu sou a liberdade dum perfil
Desenhado no mar.
Ondulo e permaneço.
Cavo, remo, imagino,
E descubro na bruma o meu destino
Que de antemão conheço.

Teimoso aventureiro da ilusão,
Surdo às razões do tempo e da fortuna,
Achar sem nunca achar o que procuro,
Exilado
Na gávea do futuro,
Mais alta ainda do que no passado.

Miguel Torga



*** * ***
FRACTAL
Fractal Orchestra by hallv5

*** * ***
CARTOON
Por Amorim

5 comentários:

Troca Letras disse...

Peço a todos que gostam dos animais e que querem os ver a terem uma vida feliz e digna, que ajudem a constituição do Partido Pelos Animais, dando a vossa assinatura e recolhendo também a dos vossos amigos e familiares.

Mais pormenores em:
http://troca---letras.blogspot.com/

ana p roque disse...

Belo poema,igualmente belo o Fractal.

bom fim de semana.

Cumps

Papoila disse...

Querido Zé Povinho:
Obrigada pela partilha deste belo poema de Torga. Belíssimo o Fractal. Regressada de férias o trabalho é imenso.
Beijos

Anónimo disse...

Torga é sempre Torga e o bom gosto por aqui é sempre de realçar.
Bjos da Sílvia

Izi disse...

oi,

belo poema compartilhado e linda imagem, uma combinação perfeita.

bjos!