segunda-feira, junho 29, 2009

POESIA


Canção Da Névoa


Tristezas leva-as o vento;

Vão no vento; andam no ar...

Anda a espuma à tona de água

E à flor da noite o luar...


Vindes dum peito que sofre?

De uma folha a estiolar?

Donde vindes, donde vindes,

Tristezas que andais no ar?


Eflúvios, emanações,

Saídas da terra e do mar,

Sois nevoeiros de lágrimas

Que o vento espalha, no ar...


Suspiros brandos e leves

De avezinhas a expirar;

Ermas sombras de canções

Que ficaram por cantar!


Brancas tristezas subindo

Das fontes, que vão secar!

E das sombras que, à noitinha,

Ouve a gente murmurar.


Saudades, melancolias,

Que o Poeta vai aspirar...

Melancolias e mágoas,

Que são almas a voar.


E o Poeta solitário

Fica a cismar, a cismar...

Todo embebido em tristezas,

Levadas na onda do ar...


E o Poeta se transfigura,

É a voz do mundo a falar!

E aquela voz também vai

No vento que anda no ar...

TEIXEIRA DE PASCOAES



*** * ***
FOTOGRAFIA
sunray 5 by chriskaula


salvation by alejka

*** * ***
CARTOON
A nova imagem de Sócrates por Henrique Monteiro

4 comentários:

MARIA disse...

Que lindo poema sobre a tristeza!
Muito obrigada por o partilhar.
Não conhecia.
Pela sua mão, neste gesto, tornou a tristeza em algo belo que me aqueceu a alma.

Um beijinho muito amigo

ana p roque disse...

Lindo poema...

As fotos simbólicas,Ladyhawke,nooo...

Engraçadissimo o cartoon.

Boa semana

cumps

São disse...

Pascoaes e o Saudosismo...

Gostei da maioria socrática

feliz semana-

Anónimo disse...

cialis acheter , cialis, generico cialis, venta cialis.