quarta-feira, janeiro 07, 2009

CONSTÂNCIA DE CONSTÂNCIO

Vítor Constâncio começa a ficar notado pela sua constância em matérias onde a evolução ou mesmo a mudança de rumo eram mais saudáveis. Para alguns pode parecer que estou a referir-me aos constantes desaires na fiscalização da banca, onde chega sempre atrasado, mas hoje eu nem quero ir por aí. Hoje volto ao rendimento dos portugueses.

O senhor governador do Banco de Portugal, que até já reconheceu ganhar um salário demasiado elevado, que afirma não poder alterar, e que recordemos é bastante superior ao do seu congénere dos EUA, veio agora sugerir que “a vida pode sorrir” em 2009 e 2010 a quem não ficar desempregado porque vão ver aumentado o rendimento disponível.

Eu detesto este senhor, não o nego, mas atrevo-me a sugerir que ele não aceite o aumento de 2,9% a que terá direito a partir deste ano, que afinal no seu caso particular é uma pipa de massa. Não é que fosse um grande rombo nos seus rendimentos, mas ficava-lhe bem. Já agora, e porque deveria ser coerente e mais cauteloso quanto a previsões, não aposte muito na baixa prolongada dos combustíveis, porque não me consta que tenha acertado nessa matéria nos últimos anos, nem teime muito na baixa dos preços das matérias primas, porque isso nem sempre se reflecte correctamente nos preços ao consumidor, como acontece com o pão, massas alimentares e arroz cujos preços não baixam, muito pelo contrário.

Na boca de Vítor Constâncio não fica bem sair nenhum comentário sério sobre os rendimentos dos portugueses, tal o abismo entre os dele e os da maioria dos conterrâneos. Há quem teime no disparate de só ver o cisco no olho alheio e não ver a trave no próprio olho, e isso também é constância, mas imprudente.



*** * ***
FOTOGRAFIA
Erlend Grøseth

oleskipper

*** * ***
CARTOON

10 comentários:

Marreta disse...

Pois, o problema é que, também segundo ele ou as previsões do banco que ele dirige, o aumento do desemprego será elevado, prevendo-se mais 90.000 desempregados.

Saudações do Marreta.

Ferreira-Pinto disse...

Penso que o País devia mobilizar-se e levar a sério o que o Governador do Banco de Portugal, independentemente de ser quem é, disse!

O cenário é muito, mas mesmo muito sombrio.
E não é só José Sócrates que ainda teima em querer ver apenas uma nuvem!

Pata Negra disse...

Pagam-lhe para isto, para vir a público prever o futuro - com cartas ou com uma bola de cristal sempre nos fazia acreditar mais!
Não acertam uma e mesma assim ainda há quem lhes dê crédito!
Um abraço tarot

Papoila disse...

Querido Zé Povinho:
Algo temos em comum... detestar esse senhor!
"Os rendimentos até podem aumentar a quem não perca o emprego...porque o desemprego vai aumentar!" Isto é afirmação que se faça?
Beijos

O Guardião disse...

Esse personagem arrepia-me e enoja qualquer um. Saia de cena quem não serve para nada que nos seja útil e que se empanturra às nossas custas.
Lol

AnarKa

polidor disse...

que fácil é tecer "conselhos" a quem canta de poleiro com o bucho cheio...

abraço

Anónimo disse...

Coitado, o que é que ele pode fazer se o obrigam a receber tanto.
Depois de um vómito causado pela lata do bicho, falemos do pinóquio que canta mais do que o grilo mas não alegra as hostes.
Bjos da Sílvia

São disse...

Eu ainda botarei faladura sobre essa (in)constante criatura...
Diga-me: verdade que caiu a janela manuelina do convento de Tomar ou é boato?
Feliz ano para si!

Meg disse...

Zé,

Mas quem é que ainda escuta o que esse senhor debita? Ele tem alguma credibilidade?
Como é que há indivíduos a dizerem tantas barbaridades?
Só pergunto.

Um abraço

Savonarola disse...

Pelos vistos, esse senhor tenta aliviar a sua pesada consciência, se é que a tem. O povinho ficará com uns trocos para gastar, enquanto ele...

Um abraço anarquista