quarta-feira, dezembro 03, 2008

FALHAS DO SISTEMA

Enquanto se discute se o sistema capitalista prevalecente está moribundo ou não, ou se ainda se pode regenerar por falta de alternativas, o que é uma discussão infindável e improfícua, eu julgo ser mais coerente analisar algumas das falhas mais clamorosas da ordem económica actual.

O sistema financeiro actual, o tal que está a atravessar uma profunda crise que ameaça todos os outros sectores, pagou em 2007, em benefícios a administradores executivos que cessaram funções, 45,1 milhões de euros, quase 10 vezes mais do que o valor pago em salários aos administradores executivos em funções. Sabendo nós todos que estes não ganham pouco, como é que se assumiram encargos desta natureza?

Enquanto se esbanjam estas quantias fabulosas com os antigos gestores destas instituições, constata-se que no mercado do trabalho os contratos precários aumentaram 83% nesta década. Traduzindo em linguagem corrente, criam-se garantias milionárias para quem nos conduziu a este verdadeiro buraco, e por outro lado precariza-se a vida de grande parte da força de trabalho.

Um sistema económico baseado apenas no maior lucro possível, sem uma gota sequer de preocupação social, está profundamente errado, e é terrivelmente injusto por defender apenas o capital, aprofundando a má distribuição da riqueza e desequilibrando perigosamente as relações entre empregadores e empregados, o que trará a prazo, mais e maior insegurança social.

O sistema estará esgotado, ou ainda haverá margem para inverter a sua marcha fúnebre e restabelecer alguma justiça social e mais equidade nas relações entre o capital e o trabalho?



*** * ***
FOTOGRAFIA
Autumn Glow by *32tsunami

Hidden by *32tsunami

*** * ***
CARICATURA
O mundo espera que Obama seja mesmo iluminado por Baptistão

Jackson Obama por Carlinhos Muller

Bob Marley por Paffaro

8 comentários:

A. João Soares disse...

O sistema está como um carro depois de ter 100 acidentes e percorrer 300 mil Km. Não merece reparação. Tem que ser substituído. Tem que se criar um sistema democrático, isto é, em que os eleitos procurem, a cada momento, seguir a vontade da maioria do povo e não da minoria do clã mafioso. E que deixe de haver cargos a preencher por nomeação, mas sim por concurso público.
Abraço
João

SILÊNCIO CULPADO disse...

Zé Povinho
Subscrevo tudo o que dizes palavra a palavra, conceito a conceito.
Enquanto subsistir a imoralidade de critérios não há remendos possíveis.


Abraço

Tiago R Cardoso disse...

este sistema não está esgotado, este sistema está é acabado.

Nada poderá ser como era, as fundações estão podres, todo o sistema está para cair, os estados tentam com dinheiro segurara as paredes, sinceramente não acredito que consigam.

Anónimo disse...

Falou em marcha fúnebre o que é o termo apropriado. Enterre-se de vez este sistema, e adopte-se outro em que as pessoas sejam a prioridade, e a justiça uma obrigação.
Utopia? Talvez, mas isto como está cheira muito mal.
Lol

AnarKa

Anónimo disse...

O capitalismo selvagem não sai de lá por vontade própria, terá de ser empurrado.
Bjos da Sílvia

Ferreira-Pinto disse...

Não creio que haja, por ora, alternativa mais válida que não seja a de um valente empurrão a esta estrutura apodrecida!

Pata Negra disse...

Sempre foi assim, dizem sempre foi assim mas há-de ser diferente! Por vezes os tempos da história surpreendem. No caminho acelerado que a isto leva vai acabar por desembocar numa revolução. Tudo depende da sobrevivência do sistema educativo!
Um abraço mais pra lá do que pra cá

C Valente disse...

Fico-me pelos cartoons e imagens
Saudações amigas