segunda-feira, maio 12, 2008

PALAVRAS DE POLÍTICOS

O Dr. Almeida Santos nunca foi um personagem pelo qual eu tivesse nutrido a mínima simpatia, quer por razões objectivas que vêm do tempo em que foi ministro da Administração Interna onde demonstrou um total desprezo pelos então chamados retornados, quer depois na acção política enquanto dirigente do PS.

Como devem calcular, já tinha um conhecimento indirecto sobre este senhor enquanto advogado em Lourenço Marques e depois em intervenções políticas, algumas delas publicadas na imprensa da época, num movimento político chamado Democratas de Moçambique ou coisa que o valha. Intervenção oposicionista ao regime, em Moçambique, confesso que não lhe conheci esses méritos, se é que os teve como afirma.

Li com atenção a entrevista que deu ao DN, e ouvi-a também na TSF, e retive apenas as afirmações sobre os bens materiais que eventualmente possa deter. À pergunta se era um homem rico, respondeu que não, tinha era a fama de rico. Recordo-me eu, e recordar-se-ão muitas mais pessoas de já ter visto na comunicação social, notícias dizendo que era o político mais rico de Portugal, ainda há poucos anos, com base nas declarações acessíveis aos órgãos de comunicação social. Engano talvez, mas o que é certo é que nunca se ouviu nenhum desmentido.

Afirma também o Dr. Almeida Santos que deixou uma pequena fortuna em Moçambique, mas o que trouxe (?) permitiu-lhe viver com alguma folga até hoje, porque os políticos ganham mal. É curioso que agora venha dizer isto, quando sabemos todos que a grande maioria dos retornados vieram sem nada, e a grande maioria dos portugueses reformados, não recebem nada que se pareça com a “ridicularia” de 700 contos por mês (3.500euros) que é o que diz ser a sua reforma.

A cereja no topo do bolo foi afirmação de que escrevia à mão, utilizando uma caneta Futura (passe a publicidade), acrescentando a propósito “Até aqui um sinal da minha pobreza, veja lá... (sorrisos). É desta “massa” que se fazem políticos em Portugal....

*** * ***
FOTOGRAFIA

obscurity

AdvokatStudio

*** * ***

CARTOON

9 comentários:

Anónimo disse...

Devia fazer-se um peditório para suprir as necessidades do indivíduo, que imagino deve estar a morrer de fome, coitado. Os contentores que eu vi no porto de Lourenço Marques e as Torres da Polana ainda não foram esquecidas, mas disso não encontrei nem um cheirinho no livro dele, que conveniente.
Lol

AnarKa

Enfim... disse...

os politicos são todos iguais é por isso que não percebo nem quero perceber so sei que isto esta mau, ou pessimo enfim...

bjokas

Capitão-Mor disse...

Almeida Santos representa o que Abril de 74 trouxe de pior!!! Era tudo contra a colonização mas depois vieram todos com os bolsos cheios ou mantiveram interesses nesses países. Enfim, tu disseste quase tudo.

Uma boa semana por aí

SILÊNCIO CULPADO disse...

Zé Povinho
É importante o que dizes sobre Almeida Santos.
É um esclarecimento que deve ser feito e que se vem juntar a muitos outros que apregoam uma moral bem pouco consonante com o seu percurso de vida.
Há retornados e retornados e, pelos vistos, alguns mais retornados que outros.
Há pensionistas e pensionistas e, pelos vistos, uns mais pensionistas que outros.
Agora os políticos, Zé Povinho, estão cada vez mais iguais.

Abraço

Tiago R Cardoso disse...

Gostei em particular da frase "Quem está no Governo tem de alinhar pela União Europeia (UE), que já dita 60% das nossas regras económicas. E a UE não está à esquerda. Também não está à direita... Mas a verdade é que a UE não tem uma orientação de esquerda e nós temos de alinhar pela UE.", brilhante.

confra-ria disse...

O Almeida como todos sabemos é um Santo(s), periódicamente aparece nos medias a representar,que nem o velho avarento do Molière,o papel dos coitadinhos dos politicos mal amados e mal remunerados.O homem é um tio patinhas faz parte dos "vampiros" como dizia o Zéca...
Abraços da Margem....

meg disse...

Amigo Zé,
Não gosto de falar deste assunto, mas foi por cauda destesv "retornados" que tanta gente ficou na miséria. Foram estes, os que fizeram o 25 de Abril. Estes só estavam lá, não porque considerassem a sua "terra"
Mas foram para explorar tudo e trazer o máximo que pudessem..
o que pudessem .

Um abraço

Anónimo disse...

É uma figura sinistra que nunca colheu simpatias. Se esse gajo é pobre, Portugal é um país de mendigos, não há mesmo vergonha.
Fui
Joca

Marreta disse...

Nunca tive muita simpatia por esta sinistra criatura, embora não tenha conhecimento válido sobre o dito cujo, no entanto como "decano" da política portuguesa, não me admira que tenha enchido bem os bolsos durante todos estes anos. Afinal de contas é preciso garantir uma reforma tranquila...
Saudações do Marreta.