terça-feira, abril 08, 2008

TRABALHAR JÁ NÃO BASTA...

As dificuldades económicas de quem trabalha por conta de outrem chegaram a um patamar muito preocupante, porque os salários já não garantem em muitos casos, condições de vida dignas e fuga do estado de pobreza. Os dados vindos a público já esta semana, confirmam isto mesmo, revelando existirem centenas de milhares de cidadãos, que mesmo estando empregados são forçados a recorrer a subsídios e a outros tipos de ajudas sociais para proverem ao sustento das respectivas famílias.

Hoje em dia já não estão no limiar da pobreza só os excluídos e os desempregados, mas até os que trabalham e auferem os salários de miséria que muitos empregadores praticam. Isto é uma vergonha que o governo e as associações patronais deviam ter em linha de conta, quando dizem que querem alterar o código do trabalho, e quando dizem que a produtividade dos portugueses é baixa.

Como podem os governantes deste país dizer que são socialistas, ou sociais-democratas quando a situação é tão má como se pode constatar? Não me consta que os países que nos dão como exemplo de modernidade e alta produtividade tenham situações similares, ou será que na Finlândia, ou na Dinamarca os patrões agem também deste modo?

A fome não é boa conselheira, disso eu tenho a certeza. Cuidem-se pois os que nos conduzem para este beco de miséria, porque algum dia isto terá que mudar, e não me parece que seja por vontade de quem manda, mas sim por iniciativa de quem já não aguenta mais ser explorado.


*** * ***

FOTOGRAFIA

gitte ls landbo

Gitte L S Landbo

*** * ***

CARTOON

Sergei Tunin, Russia

Simanca Osmani

9 comentários:

Marreta disse...

Realmente isto está a bater no fundo. Acho que precariedade é o termo próprio para se aplicar a uma percentagem maioritária da população portuguesa, mesmo àqueles que têm trabalho e por enquanto vão podendo fazer face às crescentes dificuldades económicas.
O mais grave é que não se vislumbra uma pequena tendência de alteração do rumo seguido e as alternativas são ilusórias.
A coisa está mesmno preta, apesar de muita gente teimar em viver na cegueira ilusória.
Saudações do Marreta.

Anónimo disse...

Trabalhar e ainda assim viver na miséria não contribui para a motivação, qualidade ou produtividade. Quem manda e pode neste país tem vistas curtas, o pior é que levamos todos por tabela.
Fui Joca

Enfim... disse...

a quem o dizes, o probelma é que isto tão mau está para o empregado como para o empregador sabes ai é que é...se isto não leva uma volta não sei onde vamos parar

beijinhos

Carol disse...

Eu, como empregadora, posso dizer que ando aflita, aflitinha para cumprir com os meus deveres e sobreviver a cada mês que passa...

Tiago R. Cardoso disse...

O problema é que mesmo que se tente mudar o rumo e remover quem lá está, não de vêem alternativas capazes.

peciscas disse...

É claro que esses senhores estão sempre be.
Saem do governo e vão para uma empresa qualquer ganhar balúrdios...

A paginadora disse...

Crítica certeira Zé.
A mim também me parece que os responsáveis por esta situação estão a trilhar um caminho muito perigoso. A miséria e o desespero para pôr comida no prato dos filhos pode levar a situações limite e a partir daí quem sabe o que pode suceder?
Um abraço

Ludo Rex disse...

O abismo esteve mais longe... Temos que agir! Um Abraço

@nn@ disse...

venha buscar, tem prémios !