quinta-feira, maio 31, 2007

A (IN)JUSTIÇA EM PORTUGAL

Uma decisão do Supremo Tribunal de Justiça relativa a um processo abuso de menores, que resultou na prática, na redução de pena do arguido do crime, deixou-me a mim e a muitos outros simplesmente estupefactos.
Não discuto se o Supremo julgou ou não no respeito estrito da Lei, mas rejeito inteiramente, no plano dos princípios, as explicações que ouvi e li dum porta-voz deste órgão da Justiça.
O crime abjecto que foi praticado sobre uma vítima menor não devia, nem podia no meu entender, ser considerado uma “ilicitude mediana” só por o menor ter 13 anos e não 6 ou 7 anos, A alusão à sexualidade por parte do juiz (penso eu), é infeliz e falha de rigor, como aliás é referido por diversos especialistas na matéria.
Para mim e suponho que para a maioria dos portugueses, o que é evidente é que foi praticado um crime de abuso de menores e que houve coacção, ou pelo menos houve medo e vergonha por parte do menor, que levou a que a prática fosse repetida pelo que a responsabilidade criminal do abusador é óbvia e sem atenuante de qualquer espécie, salvo se tivesse sido considerado com insanidade mental.
Por isto tudo, ou há um erro por parte do Supremo ou a Lei tem que ser urgentemente alterada por levar a conclusões deste calibre.
*
Nota: Ontem este blog e o Zé Povinho, este que escreve neste cantinho, estiveram de greve e aplaudem esta iniciativa, penso que do KAOS! Foi notável a adesão e a solidariedade, bem retratada nos pot's que por lá vi e nos inúmeros espaços que exibiram a imagem.

*** * ***
FOTOGRAFIA
Егор Ларин
KYAV

*** * ***

CARTOON
Waldez

quarta-feira, maio 30, 2007

CAROS AMIGOS

ESTOU EM GREVE

Caros amigos
Hoje estou de greve porque acho que já chega de suportar os continuados atentados a quem trabalha, da autoria deste governo. Não acredito nos nossos políticos, e falo em geral, mas o descontentamento tem de ser mostrado, e esta é a forma que está consagrada na Lei.
Não me posso limitar a escrever sobre o meu descontentamento, demonstro-o aderindo a mais uma greve, mesmo sabendo que todos os que por ela forem afectados possam não concordar com os meus motivos. Só peço que me respeitem como eu os respeito por não terem feito greve.
O Zé Povinho

*** * ***
ESTADOS DE ALMA
Não havia nechexidade -PhotoCritic II

Paz by Maxey

twilight embrace by Sortvind

*** * ***

RISO MUITO AMARELO
O flagelo do desemprego

terça-feira, maio 29, 2007

CAMELÓMIO

O Zé Povinho deu destaque às infelizes declarações do ministro Mário Lino, e também às explicações que surgiram depois, já que em ambas as ocasiões ele foi absolutamente patético. O ministro hoje não mereceria qualquer referência neste espaço, não fosse um artigo do Correio da manhã vir falar sobre a blogosfera e a falta de legislação.
Não conheço a jornalista Márcia Bajouco, nem me parece que ela conheça o meio de que fala nem a realidade do país. Sobre a realidade, posso recordar-lhe que o anonimato não é desnecessário, bastando para isso lembrar que já há delatores, quem incentive essa prática e quem não hesite em punir sem o exercício do contraditório.
O exercício da liberdade de expressão existe na blogosfera e pode ser prejudicial noutros meios, especialmente no mundo laboral.
O anonimato não implica que se pratique o insulto gratuito, e a prova disso é que há milhares de blogues que não o praticam, embora não se eximam de criticar ou parodiar com o quotidiano, mesmo que se trate de governantes ou outras figuras públicas. A liberdade existente na blogosfera não tem paralelo nem é comparável à dos meios de comunicação social tradicionais. É que aqui não há patrões, não há agenda e não há o perigo de não vermos o artigo não ser publicado por ser considerado inconveniente, ou não se enquadrar na estratégia do grupo empresarial.
Cara jornalista, não deseje nunca que seja imposta legislação limitadora à liberdade de expressão que existe na blogosfera, porque a haver algo do género, viveríamos já numa ditadura.
*
Nota: Camelómio – Hospício para camelos (nova definição do anedotário nacional).
*
Outro artigo sobre a mesma notícia em

*** * ***

ESCOLHA FOTOGRÁFICA
fotoleo

yuri melnikov

*** * ***

CARTOON

Visões diferentes - Trosley

segunda-feira, maio 28, 2007

A FALTA DE SERIEDADE

Há tempos critiquei um comentador dum jornal, que dizia que a atitude dos trabalhadores da função pública era insensata, por ameaçarem fazer greve enquanto ainda decorria um processo negocial. O problema aqui é o de saber se existe de facto um processo negocial.
Esta semana os portugueses tiveram a prova da seriedade e lisura com que o governo vem mantendo esta pretensa negociação com os sindicatos representativos dos funcionários públicos. De manhã, o membro do governo que dirige o processo afirmou à comunicação social que o congelamento das carreiras se ía manter em 2008, e que as progressões só começariam em 2009, de tarde a mesma pessoa vem dizer que afinal as progressões iriam acontecer já em 2008. Ninguém percebeu, nem sequer a outra parte envolvida, os sindicatos, que vieram afirmar que tal hipótese não fazia sequer parte das posições negociais colocadas pelo governo.
Não sabemos se a razão desta inflexão no discurso tem algum significado prático ou se fazia sequer parte das intenções do executivo, mas sabemos que não é ético colocar sobre a mesa umas propostas para serem discutidas e, depois vir para a praça pública afirmar outra coisa. Se foi para desacreditar a outra parte falhou redondamente, e colocou em causa a seriedade do próprio processo e de quem o dirige.
Os portugueses têm muitas razões para duvidar das palavras dos políticos, esta é apenas mais uma achega para que duvidemos da seriedade das suas intenções.
*** * ***


BELEZA EM FOTOS
Katrin


Марк Олич

*** * ***

CARTOON

Maz

domingo, maio 27, 2007

sábado, maio 26, 2007

GRANDE CONFUSÃO

Ontem à noite ouvi o ministro M. Lino na televisão a explicar o que queria dizer de facto, e que foi mal interpretado pela generalidade dos portugueses. Fiquei também a saber que o senhor tem 67 anos, facto que registei.
No respeitante ao seu curso de engenharia e à sua inscrição na respectiva ordem, disse o senhor que não era uma piada ao 1º ministro, mas sim um referência para o bastonário da ordem, que estaria na primeira fila, bem à sua frente. Afinal, o sorriso por ele esboçado quando fez a afirmação, e os sorrisos que se viram na plateia deveram-se à presença do bastonário e ao inocente comentário do ministro.
Quanto à referência ao deserto no sul do Tejo, nas possíveis localizações do futuro aeroporto de Lisboa, não eram para desvalorizar as localidades das redondezas, cujos edis compreende, mas tão só para enfatizar a justeza da escolha que defende por factores económicos e ambientais.
Confesso que o ministro me confundiu. A piada, não a podia admitir, isso ficou compreendido, já quanto ao aeroporto, foi mais uma vez desastrado. O ministro Mário Lino não podia dizer “jamais”, que prefere a Ota porque acima do Tejo há mais actividade económica, pois isso não explica o desmantelamento da Portela. Aliás, não explica nunca a saída da Portela, excepto com o argumento de que está encravada no centro da cidade, o que também acontece um pouco por todo o mundo, transformando o argumento numa banalidade.
A sul do Tejo há muito desemprego e pouca actividade industrial, mas um aeroporto serviria exactamente para potenciar a fixação dos agentes económicos nessa região, contribuindo deste modo para um crescimento mais harmonioso do território. Deixei de fora a actividade turística e a pressão que ela exerce na região sul do país, apenas porque é uma evidência.Não tenho qualquer preferência, mas acho que é faraónico desmantelar a Portela, que pode e deve coexistir com outra infra-estrutura aeroportuária nas redondezas de Lisboa.


*** * ***

FOTO
to be a swan by ~VampiricSyren

*** * ***
CARTOON
Ferreira dos Santos do Cartoonices

Jeff Parker

sexta-feira, maio 25, 2007

DEFINA TRANSITÓRIO

O governo continua perpetua o congelamento das carreiras da função pública, quando tinha anunciado em 2005 que era uma medida provisória que só aconteceria até que a reforma do regime de carreiras e remunerações estivesse concluída. O que era para ser transitório eterniza-se, e mesmo em 2009, na melhor das hipóteses, só 5% poderão progredir na carreira, sendo evidente que se adivinha quem vão ser os escolhidos.
O que Manuel Pinho disse na China, afinal não era um disparate, foi apenas um deslize que revelou a política deste governo: o défice é para ser pago com os cortes nos salários reais dos portugueses. Só com este, muito conveniente, congelamento de carreiras o Estado arrecada em dois anos e meio cerca de 1.000 milhões de euros.
Aquilo que um secretário de estado veio dizer sobre os prémio de mérito, são apenas conversa fiada, para enganar quem gosta de o ser, já que nada, mesmo nada, está negociado e assente.
Este arrastar de medidas transitórias e de avanços e recuos nas propostas do governo, demonstram a intencionalidade de prolongar a situação tanto quanto possível, ao mesmo tempo que vai colocando as suas clientelas um pouco por toda a Administração Pública, quais comissários políticos ou controladores, que comem na manjedoura do orçamento sem nada produzirem.A credibilidade deste governo é nula, as mentiras e o incumprimento das suas promessas já são tão evidentes, que até os mais crédulos começam a ver, que os rendimentos do trabalho são cada vez menores e que o desemprego aumenta, a saúde e a educação estão mais caras, o custo de vida e as prestações aumentam e os salários não acompanham tudo isto. Isto são realidades que são fatais e incontornáveis, e disto não se pode responsabilizar os funcionários públicos, mas sim os governantes.

*** * ***
QUADRO DE HONRA
Imagem maravilhosa - Link

*** * ***

FOTOGRAFIA
Dr.Moriarty

*** * ***

CARTOON
Outros problemas das escolas em todo o mundo.

quinta-feira, maio 24, 2007

DADOS REDUNDANTES

Todos sabemos, tanto no sector público como no privado, que a assiduidade dos trabalhadores é registada e no final do mês reflecte-se inevitavelmente nas retribuições de quem falta. Esta prática nos serviços do Estado é obrigatória e em cada serviço ou organismo há responsáveis por essa tarefa, que respondem pela função que lhes é confiada.
Os funcionários públicos questionam a razão de ser duma base de dados para aferir a participação em greves, e mais, se o ministro das Finanças tem competência para a ordenar. Quais são os dados que vão constar dessa base de dados? Foi autorizada pela entidade competente?
Por muito boas intenções que o senhor ministro manifeste, não pode alegar que isso traga algum benefício ao erário público, antes pelo contrário, pois custa dinheiro. Alegar que dispõe de números fiáveis, também não é correcto, pois no próprio dia e nas 48 horas seguintes tal número nunca pode ser considerado definitivo. Então como se explica tal intenção?
Controlar quem faz greve e quem não faz, não me parece que seja legítimo nem aceitável, mas, excluídas as outras hipóteses, parece ser o motivo de tanta diligência em comunicar números fiáveis à comunicação social.
Aos portugueses pouco importa a discrepância de números brandidos pelos sindicatos e pelo governo, já que o impacto das greves se mede mais pelos incómodos e pelos atrasos sentidos pelos cidadãos do que por dados duma qualquer fonte, mais ou menos exacta.
Não terá o senhor ministro das Finanças nada mais importante e produtivo onde despender energias e verbas para melhorar as finanças públicas?

*** * ***
BLOG COM TOMATES

Lamento ir incomodar alguns ou até ferir susceptibilidades de outros, mas decidi exercer o direito que me foi conferido pelo Sino da Aldeia e vou nomear os seguintes companheiros para a mesma distinção:

* We have Kaos in the garden

* O Anarquista

* O Corcunda da Torre do Tombo

* Adrianeites

Penso que alguns já foram distinguidos e que outros podem não apreciar o título, mas estes são alguns dos sítios que mais vezes visito, mesmo que nem sempre comente por falta de tempo ou por já alguém ter dito o que a mim me apetecia dizer. Que me desculpem os que não mencionei.

*** * ***
CARTOON NACIONAL
Ingenuidades

*** * ***

FOTOS - CHAPÉUS HÁ MUITOS
Jardin

MaxGog

quarta-feira, maio 23, 2007

RECORDAR BONS MOMENTOS

Link
O criador e a sua criação

*** * ***

O MELHOR APANHADO

Para um país mais pobre
«Quero deixar-vos também uma palavra de confiança, confiança em vós, nas vossas famílias e a certeza que cada um de vós dará o seu melhor para um país mais justo, para um país mais pobre... perdão, para um país mais solidário, mais próspero, evoluído».

José Sócrates no discurso sobre a nova Lei da Nacionalidade

Por maior que seja a prática e por mais jeito que se tenha, mentir é uma arte difícil. Há sempre aquele momento em que a boca lhes foge para a verdade.

*** * ***

FOTOGRAFIA

Vu
*** * ***

IMAGEM MANIPULADA

Diploma manhoso

*** * ***

CARTOON
Precipitação

terça-feira, maio 22, 2007

OUTRAS LEITURAS

Manias!

O mundo é velha cena ensanguentada,
Coberta de remendos, picaresca;
A vida é chula farsa assobiada,
Ou selvagem tragédia romanesca.

Eu sei um bom rapaz, -- hoje uma ossada, --
Que amava certa dama pedantesca,
Perversíssima, esquálida e chagada,
Mas cheia de jactância quixotesca.

Aos domingos a deia já rugosa,
Concedia-lhe o braço, com preguiça,
E o dengue, em atitude receosa,

Na sujeição canina mais submissa,
Levava na tremente mão nervosa,
O livro com que a amante ia ouvir missa!

Cesário Verde


*** * ***
A BELEZA DA FOTOGRAFIA
Dasha, Zaytseva

Túlipas by Electric Dog

*** * ***

CARTOON

Boas referências!!

segunda-feira, maio 21, 2007

ISTO É UMA ESPÉCIE DE SOCIALISMO...

E a Coreia do Norte aqui tão perto...


Nota: Isto não pretende ser nem uma crítica nem uma piada jocosa acerca do nosso querido Líder, trata-se apenas de um erro informático a que sou absolutamente alheio.

Ass. Zé Povinho


*** * ***

ILUSTRAÇÃO DO ERRO INFORMÁTICO

Hardrock Cafe By charizz

Google By jenlikestoski

*** * ***
HUMOR QUE ME SUGERE...

Ministério da Saúde by Andrzej Graniak - Poland

Segurança Social by Winfried Besslich (Bess) - Germany

domingo, maio 20, 2007

sábado, maio 19, 2007

CURTINHAS

Mais 500 vigilantes nos Museus – A ministra da Cultura comunicou hoje, durante uma sessão sobre o Dia Internacional dos Museus que os Museus vão receber 500 vigilantes para assegurar o funcionamento normal destes espaços durante os meses do Verão. Esta medida vem satisfazer uma reivindicação antiga destes profissionais que tantas greves originou, e colmatar as insuficiências mais do que evidentes de pessoal desta categoria. Espera-se que após o mês de Setembro estejam já garantidas as condições para a integração de um número suficiente de funcionários públicos oriundos do quadro de excedentes, dispostos e devidamente formados para estas funções, o que é vital para o funcionamento regular destes serviços.

A falta de renovação dos partidos – Os partidos políticos demonstraram, a propósito das eleições intercalares para a Câmara Municipal de Lisboa, a falta de novos quadros capazes de serem candidatos credíveis para o cargo. PS e PSD tiveram dificuldade em encontrar os seus candidatos e recorreram a figuras que já estavam noutros cargos políticos, um era ministro e o outro deputado. A profissionalização dos políticos e a sua pouca abertura à sociedade civil, não permitem a renovação de protagonistas e gente com ideias novas e com experiências diversas e enriquecedoras. Muitas das segundas linhas dos partidos são pessoas cinzentas, sem passado profissional mais se assemelhando a funcionários dos partidos.

*** * ***
FOTOGRAFIA
3d-sparrow

K Valeri

*** * ***

COM HUMOR

A angústia no WC

sexta-feira, maio 18, 2007

INCONVENIENTES DA PROPAGANDA

Há quem lide muito bem com a comunicação social e, salvo alguns deslizes, este governo tem lidado com bastante competência com o meio. Quando esta prática é feita por um governo estamos quase sempre perante um acto de propaganda e não de informação, o que envolve riscos em matéria de quantidade e de oportunidade.
Na ordem do dia está, sem dúvida alguma, os números do desemprego em Portugal, que é uma praga social que nos preocupa a todos. Pois aqui temos um exemplo um exemplo dos inconvenientes da propaganda governamental. Um dia antes de serem tornados públicos os dados oficiais sobre o desemprego fornecidos pelo INE, referentes aos primeiros meses deste ano, sai na comunicação social a notícia de que o número total de desempregados caiu 7% em Abril.
Quase em simultâneo temos também notícias sobre o bom desempenho da economia e até o comentário de Cavaco Silva que invoca S. Tomé, utilizando “o esperar para ver” em vez do “ver para crer”, o que não altera substancialmente a ideia.
Segundo o INE temos 8,4% de desempregados, a maior taxa desde que este governo tomou posse. Fica assim bem claro para os portugueses que estamos perante uma política ineficaz no combate ao desemprego, apesar dos anúncios em catadupa feitos pelo governo quanto ao crescimento económico.
Os políticos deste país, no governo ou na oposição têm de se capacitar de que os cidadãos se apercebem das realidades, sempre que vão às compras ou que chegam as contas para pagar. É por aí que todos nós medimos a saúde das finanças nacionais. Bolsa, acções, dados estatísticos, são matérias sobre as quais especulam os que não são obrigados a fazer muitas contas durante o mês para chegar ao fim com uns tostões para a bica.
O Zé Povinho é mais pragmático do que a classe política, a carteira é o seu barómetro da economia, não há propaganda que altere o que é real.

*** * ***
FOTOGRAFIA
nordre

*** * ***

PROPAGANDA POLÍTICA (?)

Os "40.000 blowjobs" de ontem

*** * ***

O HUMOR NA REDE