quinta-feira, dezembro 20, 2007

ONDE PÁRAM OS CRÍTICOS

Nos últimos anos temos assistido a um ataque cerrado aos funcionários públicos, parecendo que tudo o que vai mal no País decorre da sua simples existência. Ninguém se questiona sobre a gestão desastrosa desses recursos humanos, talvez porque esta insidiosa campanha é orquestrada pela classe política, e essa é precisamente a classe dirigente da Função Pública.
Tem-se assistido ao esvaziamento das funções do Estado, o número de funcionários baixou, os salários sobem há vários anos abaixo da inflação real, contudo os gastos do Estado com despesas fixas aumenta muito acima dos aumentos salariais decretados para os funcionários públicos. Enquanto isso assistimos à degradação do sistema de ensino, aos encerramentos de unidades de Saúde, ao triste cenário que tem sido dado pela Justiça, cada vez mais morosa, e isto acontece ao mesmo tempo que pagamos mais por todos estes serviços. Porquê? Talvez seja altura de todos começarmos a encarar a realidade, porque estamos a assistir à destruição implacável dos serviços públicos, para os entregarmos à iniciativa privada, com a garantia de lucro para os concessionários.
Sei que este artigo não será do agrado de muitos que embarcaram na campanha contra o funcionalismo público, mas é precisamente a estes que deixo uma derradeira questão: será que acham que é mais um privilégio dos funcionários públicos passarem a descontar mais 1% dos seus salários, para usufruírem dum direito que devia ser extensível a todos os trabalhadores, que é o de terem acesso ao subsídio de desemprego? Se as intenções deste governo ainda não eram claras para muitos, agora com esta medida fica clara a intenção da destruição completa do emprego público.
*** * ***
FOTOS - AVES

владимир диденко

Nadin

*** * ***

BONECOS E CARICATURAS

Gustavo Duarte

Carlinhos Muller

11 comentários:

Ludovicus Rex disse...

Passei para te desejar Boas Festas Amigo.
Um Abraço e Até já.

Pata Negra disse...

Guardião,
Tão grave como o povo não estar a perceber ao que está a acontecer aos serviços públicos é os próprios funcionários públicos não se estarem a aperceber das razões que estão por detrás daquilo que lhes está a acontecer!
Lutarei contra este caminho nem que me cortem as pernas!
Um abraço pelo Estado coerente

A. João Soares disse...

Caro Zé,
Muitos parabéns por este post. É muito oportuno e muito justo.
Os políticos têm como lema «governar-se explorando os cidadãos» e os funcionários públicos são os que estão na linha da frente para serem os primeiros a ser explorados.
Não foi sem intenção que os chefes dos diversos serviços passaram a ser nomeados por critérios de cor política em vez de o serem por concurso de entre os que apresentam, conduções para o lugar. Depois há a repressão como aconteceu no caso do professor Charrua.
Quanto às privatizações, elas são encaminhadas para os «amigos» do clã, tal como o têm sido os contratos para estudos e pareceres, tal como têm sido nomeados os assessores e outros parasitas da máquina do Estado.
E, desta forma Portugal deixou de estar na cauda da Europa para ser um corpo estranho, um espinho, cravado na União de povos melhor governados do que este sítio que está a tornar-se demasiado fétido.
Parece que nem um milagre poderá endireitar isto.
Abraço com votos de Boas Festas

Tiago R Cardoso disse...

Muito bem, como já escrevi uma vez essa historia de estarem sempre a "bater" nos funcionários públicos para mim anda no "preconceito" contra a classe.

AnarKa disse...

Político profissional sem 'emprego' recorre sempre aos patrões que beneficiou, ou não será? Privatize-se, garanta-se o lucro para não haver políticos no desemprego. O resto do povinho, que vá cantar para outra freguesia, que o bago já não chega para os predadores.
Lol

FERNANDA & SONETOS disse...

Olá Zézinho, linda como sempre a tua postagem.
Deixo-te um abraço do tamanho do mundo.
Fernandinha

elvira carvalho disse...

As piores decisões são sempre tomadas nesta época. Anda tudo tão entretido com a época de solidariedade que não se apercebem do que se vai tramando á sua volta.
Lindas as fotos.
Um abraço

Meg disse...

Meu caro Zé,

Tudo o que sejam tostões, meu amigo, eles comem tudo...
Vá lá que o Tribunal Constitucional
esteve atento, enfim sempre há coisas que não passam.

Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Zé Povinho
Admiro a clareza das tuas convicções, a pessoa informada e que vê bem onde põe os pés. Sibscrevo na íntegra o teu post como sempre acompanhado de imagens cultas e apelativas.

MAria disse...

Para alêm de que se fazem isso é pq estão a pensar em despedir bastante mais funcionários.

E os 150mil empregos que Sócrates ia criar??...pois!


Bjs

quintarantino disse...

Para já o Tribunal Constitucional obriga a uma breve marcha à ré...