sábado, outubro 27, 2007

DUAS INAUGURAÇÕES?

A exposição Arte e Cultura do Império Russo nas Colecções do Hermitage – De Pedro, o Grande, a Nicolau II, mereceu duas inaugurações, a 1ª com a presença de Cavaco Silva e Putin e a 2ª com ministra da Cultura e uma corte mais plebeia.
Os notáveis do burgo e Isabel Pires de Lima, que não vi, não abdicaram dos seus momentos de glória (?) neste evento cultural.
O fausto impera nesta mostra, onde pontuam ouros e jóias bem como porcelanas e pinturas, além do famigerado trenó, que os comissários portugueses fazem gala de dizer terem sido os responsáveis pela sua vinda, em substituição do coche proposto pelos russos.
Como seria de esperar, a 1ª noite registou uma enchente onde pontuavam muitas figuras de 2ª linha da nossa Cultura, aqueles a que já nos habituámos a ver nas inaugurações, e também muito público anónimo, curioso com a mostra a que respondeu em bom número e obrigou a uma abertura mais cedo que o previsto.
Não pude visitar convenientemente a loja, nem apreciar o que havia disponível, pelo que me detive a apreciar as mudanças registadas na Galeria D. Luís onde tinha estado pela última vez há já uns anos, na altura para comprar uns livros que estavam a preços muito em conta. Não se pode dizer que tenha ficado encantado com a disposição da exposição, mas também não fiquei desiludido, embora tenha de voltar, com tempo e noutra ocasião com menos gente, para apreciar devidamente as peças.
Não acredito que atinja os 150 mil visitantes, como apontam os organizadores, mas nestas coisas nunca há certezas, e a surpresa pode acontecer, e será bem recebida.

Feira de Vaidades by Goraz
*** * ***

FOTOS - BORBOLETAS

Sergey Nikolaev

Sk8man

*** * ***

CARTOON - JUSTIÇA

10 comentários:

Ludovicus Rex disse...

Seja como for...Haja Cultura.
Um abraço e Bom Fim de Semana

quintarantino disse...

Como disse, sou um dos que tenciona ir a essa exposição. Mas na altura da plebe.

Odysseus disse...

Devidamente publicitada, como foi, creio que a exposição tem tudo para ser sucesso. Esta noite houve gente que nem conseguiu entrar. Logo desperta curiosidades e o interesse de muitos, mesmo gratuito. Gostando ou não é um pedaço de mostra de história.

Cumprimentos

Meg disse...

Sim, Zé, creio que ontem não terá sido a melhor altura para ver com olhos de ver a admirar as peças do Museu.
Para a frente, quand passar esta euforia promocional e quase alarme social e político(?).
Um abraço

Laurentina disse...

Mais la para a frente também conto ir ...é historia e gosto .
Bom fim de semana
Beijão grande

Zé Povinho disse...

Senhores e Senhoras
Eu, dentro das minhas limitações culturais e económicas, sou um consumidor de Cultura, e mesmo que por vezes o estilo, o artista, ou o género não sejam os meus preferidos, eu faço todos os possíveis por ver ou assistir a esses eventos. Claro que fui dar uma vista de olhos no 1º dia, porque tinha disponibilidade, e evidentemente vou voltar para apreciar devidamente esta exposição, esperando que todos os que o possam fazer, igualmente se desloquem à Ajuda. A apreciação devida, faz-se depois de uma visita com tempo e com disponibilidade para apreciar.
Abraço do Zé

papagueno disse...

Eu espero visitar em breve, neste tipo de exposições já sei que os primeiros e os últimos dias são sempre os mais complicados.
Um abraço.

Paulo Sempre disse...

A cultura é sempre o balsámo da nossa «sede» de saber...
Abraço
Paulo

Meg disse...

Olha, Zé, hoje fico-me com o Vivaldi, que estou a precisar...
Um abraço

J.G. disse...

Dos muitos milhares que por certo não deixarão de visitar o mini Hermitage, desejo que alguns que ainda não conhecem o nosso Museu de Arte Antiga, por exemplo, aproveitem "a onda" para o fazer.
Tem menos luz e brilho mas arte é coisa que lá não falta. E nossa!

Abraço.