terça-feira, outubro 23, 2007

CULTURA IMPERIAL

Quis o acaso, que o meu artigo sobre a exposição a realizar na Galeria D. Luís do Palácio Nacional da Ajuda, com peças provenientes do Museu Hermitage, tenha sido publicado quase em simultâneo, com um artigo da Actual e de uma entrevista da ministra da Cultura dada ao jornal Destak.
Como já manifestei ontem, tenho intenções de visitar esta exposição, até porque nunca tive a oportunidade de ver qualquer colecção do Hermitage, e porque sou um visitante habitual de exposições de arte, bem como de Museus e Monumentos. Isto não invalida a minha estranheza perante este interesse da senhora ministra, na parceria com o museu russo, que contrasta enormemente com a falta de empenhamento em trazer a Portugal a exposição sobre os Descobrimentos, que esteve patente nos EUA e agora vai para a Bélgica, ainda que não na totalidade.
Li atentamente a entrevista do Destak e confirmei a impressão de que esta exposição e esta parceria são uma iniciativa da própria ministra, e que um milhão e duzentos mil euros do milhão e meio que custará a exposição foram canalizados de patrocínios, públicos e privados. É de tomar em conta que para 2008 está prevista uma exposição, mais pequena, na cidade do Porto, e em 2009 outra em Lisboa, provavelmente também na Galeria D. Luís. Em 2010 está prevista a abertura de um pólo do Hermitage em Portugal, em local a definir.
Sem colocar em causa a qualidade dos eventos e das peças a ser expostas, que não conheço, parece-me demasiada fartura para um País que tão poucas verbas afecta para a Cultura. Será que não haverá falta de verbas para cuidar do nosso Património?
Para terminar, deixo aqui a notícia do jornal diário russo “Kommesant”, segundo a qual o Museu Hermitage decidiu encerrar o seu pólo de Londres, devido a problemas de financiamento e ao aumento dos custos das exposições. Também relevo que em contraponto com os mil metros quadrados da Galeria D. Luís, o pólo do Hermitage em Londres estava instalado em cinco salas, na Somerset House com uma área total de 411 metros quadrados.
Tudo isto dá que pensar, ainda que a expectativa possa ser muita.


*** * ***

CARTOON
Larry Wright

Pat Bagley

10 comentários:

Sílvia disse...

Ó Zé, a senhora ainda não sabia do fiasco do Hermitage de Londres. Ela anda ocupadíssima com as inaugurações, de relógios, das Descobertas e das grandezas russas. Imagina só a trabalheira dos cabeleireiros, manicuras, dos arranjos nos trapinhos e na maquilhagem... . A vida da Isabelinha deve ser uma estafa.
Bjos

adrianeites disse...

que cartoons malucos!

lol

Belzebu disse...

Costuma-se dizer que quando a esmola é grande, o pobre desconfia! Num país que deixa grande parte do seu património ao abandono, cujos orçamentos vão penalizando a cultura sucessivamente, é de facto estranho, este súbito empenhamento da Ministra.

É caso para dizer que "aqui há gato". O tempo o dirá!

Aquele abraço infernal!

Lol disse...

De vez em quando o rosa fica avermelhado, deve ser da maquilhage... Lol

Meg disse...

Grandes projectos para o Terreiro do Paço...que sei eu?
Cada vez percebo menos estas prioridades!!!
Um abraço, Zé!

Tiago R Cardoso disse...

Eu que eu esperava e espero é que para se fazer coisas como essa excelente exposição, não seja preciso cortar noutra, bem pelo menos era o que num mais normal se fazia.

Vieira Calado disse...

O cartoon terá ainda mais significado para os americanos, mas quando me aparece o Bush e essa mal-encambada,
fico com pica pica...
Um abraço

Sophiamar disse...

A esperança é a última coisa a morrer e, embora a fartura nos pareça muita, vamos acreditar nesta iniciativa.. Para já! Eu também visito exposições e faço muitas vezes, grandes distâncias para as ver, espero não perder esta. Assim aconteça ela.

Beijinhossss

J.G. disse...

Deve haver aí negócio chorudo á vista...cheira-me!

um abraço.

Fernanda e Poemas disse...

Olá amigo Zé, grande e bem concebida postagem.
Fiquei muito feliz de aqui ter passado.
Muitos beijinhos,
Fernandinha