quinta-feira, agosto 30, 2007

O CONTROLO DA INTERNET

Estamos todos conscientes dos perigos e do imenso lixo que existe na Internet, mas também há que reconhecer os mananciais de conhecimento, de informação e de liberdade que nos proporciona. As opiniões dividem-se um pouco quando se fala em regulação, com os que valorizam mais os perigos e os medos, e com os que dão mais importância à liberdade, informação e difusão do conhecimento.
Estas duas visões, aparentemente antagónicas, estão a ser aproveitadas por alguns poderes para tentarem implementar uma entidade reguladora que, na minha modesta opinião, é um perigo global.
Não é por acaso que Vint Cerf, “o pai da Internet” anunciou a sua rejeição a tais propósitos de regulação. Disse, e muito bem, que a Internet é apenas «um reflexo da sociedade em que vivemos» e acrescentou «Talvez seja importante olharmos para a sociedade e fazermos algo sobre o que está a acontecer, o que estamos a assistir». Para rematar afirmou que «é um erro separar entre o que é colocado on-line e o que acontece no mundo exterior».
Embora aceite como genuínos alguns receios de quem não domina minimamente a tecnologia, principalmente por não poderem informar devidamente os seus filhos, outros há que acenam com os medos apenas com o intuito de manter sob controlo as opiniões diversas que abundam no meio, começando pelas que lhes são desfavoráveis. Sei que posso desencadear comentários menos favoráveis com esta opinião, mas não gostaria de ser controlado por perto como acontece na China. Quanto aos perigos da Internet, que não nego existirem, e até há muitos, deixo apenas as palavras da sabedoria popular: “Onde está o homem, está o perigo”, o resto já está tudo nas palavras de Vint Cerf.

*** * ***
FOTOGRAFIA NO FEMININO
Rolf-Ørjan Høgset

πr²

*** * ***

MUITO OBRIGADO

Certificado atribuído pela Maria Faia do Querubim Peregrino a quem agradeço do fundo coração. Gostaria de nomear alguns dos meus amigos, mas temendo ser injusto, e porque os meus interesses são bastante variados o que torna qualquer critério que utilize, injusto, dedico-o a todos os que constam da minha lista de links.

*** * ***
CARTOON
Dan Reynolds

11 comentários:

C Valente disse...

Parabens pelo prémio
belas fotos
mais uma vez o meu obrigado
saudações amigas

o guardião disse...

Ontem escrevi sobre algo ligado ao tema que escolhestes hoje, e também eu sou contra o controlo da Net. Já todos sabemos que eles controlam a pretexto do terrorismo, mas curiosamente a maior parte dos comunicados terroristas são divulgados pela net e eles não conseguem apanhar os bandidos.
Hoje ainda não escrevi uma linha sequer para o blogue, veremos se amanhã me surgem ideias.
Cumps

quintino disse...

O controlo da internet existe?
A internet ainda existe?
Nós ainda existimos?
Sabe-se lá...

João Rato disse...

A Internet tal como o mundo tem de tudo: o bom e o mau. Faz parte da vida aprender a viver com isso.
Quando estes senhores falam na necessidade de regulação estão a pensar unicamente em filtrar a informação que possa tocar o seu poder.
Veja-se que essa preocupação tem mais a ver com a blogosfera de opinião - que naturalmente e espontaneamente se tem auto-regulado - do que propriamente com os contéudos de sites de natureza pornográfica ou até terrorista!

Sílvia disse...

Eles já têm acesso a tudo, mas o que desejam é regular os conteúdos, e é isso que nós rejeitamos.
Para quando uns moços tão interessantes como as meninas que hoje aqui trazes?
Bjos

Tiago R Cardoso disse...

Essa da entidade reguladora tem piada. As mentalidades de alguns não sairão ainda do "tempo da pedra lascada", tudo o que for novo, que não se conheça ou não se consiga controlar é mau, já escrevi várias vezes sobre o assunto e todos chegamos ao mesmo resultado, na blogosfera temos a liberdade de dizer livremente o que pensamos, podemos escolher o que ver ou ler, a separação do lixo do bom, acaba por ser feita naturalmente.

J.G. disse...

Estou de acôrdo com o essencial.
claramente digo Não a uma entidade fiscalizadora, mas entendo que deve ser regulamentado o uso desta poderosa fonte de conhecimentos, mas igualmente de comportamentos desviantes
Como? Essa é a questão fundamental!
Mas nessa regulamentação terão que ser reforçados todos os passos dados no sentido de criar uma ética do utilizador em primeiro lugar.
Depois, que os próprios servidores se comprometam a não dar guarida a actividades criminosas e/ou lesivas do direito à verdade e ao bom nome das pessoas.

Quando se assiste, actualmente, a um juntar de interesses entre grandes empresas como o Yahoo e outros e governos de países que cometem as mais variadas infracções aos direitos do homem, e refiro-me por exemplo á China, então não pode haver lugar a qualquer forma de moralização de costumes exerdica cercivamente sobre quem quer que seja.
Como em tudo na vida, os bons exemplos devem vir de quem detem qualquer tipo de poder.

Um abraço.

adrianeites disse...

a internet não dá para controlar!

deve-se formar as pessoas e não proibir, condicionar ou o que quer que seja!

decidamente onde está o homem, está o perigo!

cp's

Zé Povinho disse...

Eu também reconheço que há actividades do tipo da pedofilia, terrorismo e outras racistas e xenófobas, para citar algumas, que gostaria de ver erradicadas da Internet. O problema é que não consigo acreditar em entidades reguladoras "independentes" porque acabam sempre por dependerem de poderes e interesses, e inevitavelmente transformam-se em censura. Sigo com alguma curiosidade o método utilizado pela Wikipédia, e embora seja interessante, também já demonstrou algumas falhas.
Como disse Vint Cerf, a Internet é um espelho da sociedade, e o perigo está em todo o lado.
Abraços do Zé

Sulista disse...

Concordo absolutamente com o «pai da Net...é um erro separar entre o que é colocado on-line e o que acontece no mundo exterior»

Assino por baixo!


Abraços ;-)

Odysseus disse...

Depende do que se controle, como tudo não pode haver uma anarquia total, mas não podemos fazer dos nossos pc's um livro aberto aos senhores da mafia da internet.


Cumps