domingo, julho 01, 2007

O QUE SERÁ MAIS DIFÍCIL?

Várias vezes me tenho questionado sobre se é mais difícil concordar ou discordar de opiniões ditas maioritárias. Por uma questão de feitio, julgo eu, tenho o costume de inteirar-me primeiro dos assuntos e depois exprimo o que penso, pouco me ralando com o facto de estar de acordo com a maioria ou não. Sei que não seria nunca um bom diplomata ou até um bom vendedor, mas também não pretendo ser perfeito.
Já fui obrigado diversas vezes a abster-me de opinar, para não ser inconveniente ou porque o risco de retaliação era mais do que certo. Senti-me então, muito mal comigo mesmo e os dias que se seguiram foram de insónia e de raiva contida, tornei-me irritável e até insuportável para os que me rodeavam, sem razões que o justificassem.
Recuso manifestar o meu apoio a afirmações ou situações das quais discordo, e sofro as consequências disso, na minha vida profissional e até pessoal.
Acho que é mais difícil discordar, pelas consequências da discordância, mas também me é difícil concordar só porque isso é mais conveniente e daí possam advir benefícios de qualquer ordem.Nos tempos que correm esta dúvida coloca-se com muita premência, e com a minha idade, cada vez é mais difícil mudar de feitio.

*** * ***
FOTOGRAFIA
Gazing intently :. by ~Katosu


*** * ***

HUMOR ENERGÉTICO

Cameron (Cam) Cardow

5 comentários:

adrianeites disse...

concordo!
aliás eu tenho uma conduta semelhante.. algumas vezes sou acusado se ser do contra, mas é me indiferente! se penso uma coisa não vou mudar de pensamento porque os outros assim o entendem!
cp's

papagueno disse...

Olá meu amigo venho aqui para deixar uma nomeação porque acho que este blog merece o título de "Blog Activista".
Um abraço.
http://bairrodoamor2.blogspot.com/2007/06/blog-activista.html

Anónimo disse...

...ninguem disse que ear fácil estar deste lado de cá da barricada ;-) Eu tb tenho a mesma postura.
A Luta continua, Sempre!

Abraço de bom domingo ;-)

Sulista

Zé Povinho disse...

Caros amigos
Afinal ter opinião própria mesmo sabendo que não é uma "atitude conveniente e cómoda" é "doença" que ataca muita gente. Por vezes sentimos algum consolo sabermos que não estamos sozinhos no desejo duma sociedade melhor e mais justa.

Obrigado, amigo Papagueno, vou inteirar-me já sobre esse título.
Abraços e bom domingo

J.G. disse...

Estou de acordo. "O Silêncio é de oiro" pode ser uma máxima muitio conveniente e sábia, como pode ser cobarde e mesquinha.

Temperar os silêncios e ficar de bem connosco é o objectivo a atingir. Nada fácil, mas possível!

um abraço.