domingo, junho 24, 2007

“CONTRIBUTO” DA CULTURA

A abertura de um museu podia e devia ser um facto que neste espaço mereceria grandes e rasgados louvores, mas hoje faço uma excepção devido a umas quantas dúvidas que não vi esclarecidas.
Abre segunda-feira o museu da Fundação de Arte Moderna e Contemporânea – Colecção Museu Berardo situado no Centro Cultural de Belém. Segundo fonte do gabinete de Isabel Pires de Lima, citada pela Lusa e publicada em alguns jornais de sábado, o Ministério da Cultura dá três milhões a Berardo, acrescentando que “este contributo” se insere no âmbito do protocolo assinado em 2006, tendo como objectivo pagar despesas de funcionamento e actividade da fundação.
Não conheço o protocolo referido, mas lembro-me de ver ventilada uma verba, creio que de 500 mil euros anuais para aquisições, contudo do que se fala agora é de seis vezes mais do que isso. Pelos vistos o ministério vai garantir as despesas de funcionamento e as actividades deste museu, mas ficamos sem saber em que é que vão ser aplicadas as receitas geradas pelo museu.
Coloco estas dúvidas porque entretanto vi o sr. Berardo afirmar na televisão que vão haver bastantes gratituidades, creio que para fidelizar públicos, mas fê-lo dum modo em que a ideia que passava, era de que estaria ele próprio a “dar umas borlas”, e afinal não é bem assim.
Saliento que neste mesmo ministério, o da Cultura, há serviços que lutam diariamente com falta de funcionários, porque a promessa da senhora ministra de contratar a prazo, de Junho a Setembro cerca de 500 vigilantes, ainda não se concretizou. Parece que é mais fácil inaugurar do que manter o nosso Património móvel e imóvel, aberto e em condições de prestar bons serviços ao público nacional e estrangeiro que mesmo assim os visita.


*** * ***

FOTOS - TEMA: O CARACOL

SilentX

inr

*** * ***

CARTOON

O senhor pediu frescos...

Democracia? by Daryl Cagle

7 comentários:

Sílvia disse...

A senhora ministra continua na senda das inaugurações e das festanças, já há até quem pergunte se tem algum grau de parentesco com a Dª Constança.
A escolha dos caracóis está um mimo, mas onde pára a sardinhada?
Bjos

Laurentina disse...

Este "Berardo" mais os seus actuais amigos do peito estão a fazer de todos nós uns benardos...enquanto a area estava mais ou menos limpa estes abutres não apareceram ...mas agora o terreno esta propicio !!!
Andam por ai como moscas...
Bom domingo
Beijão grande

Joca disse...

Os caracóis e a democracia estão de facto um must. Janis Joplin por aqui? Surpresa!
Desperdício na Cultura? Que esperar da ministra festiva?
Vou dar de frosques.

o guardião disse...

Que pena eu não gostar de caracóis, mas apenas porque não passo cartucho a ranhosos, e há muitos por aí. Hoje fui para os camarões, de Moçambique claro, e ontem estive na sardinhada. Bem que podias vir cá acima, onde sabes que nós não perdoamos uns comes e bebes, seja a que pretexto for.
Abraço amigo

adrianeites disse...

mais uma derrapagem! apenas mais uma!
cp's

pita-cega disse...

Este Berardo ainda chega a Presidente da República.

J.G. disse...

Sem menosprezar a importância de uma capital europeia ter um museu de arte moderna com a qualidade como terá, estou certo, a exposição permanente das obras adquiridas pelo magnata Berardo,bem como o apport de turistas de qualidade (e de dinheiro) que o Museu vai trazer a Lisboa, ficam-me algumas interrogações igualmente.

Não acredito, porque não consigo mesmo acreditar, que o senhor Berardo faça isto por amor à Pátria ou pelo simples gozo de ser patrono(e patrão) de um museu.
depois, como bem dizes, mais uma vez se pretende mostrar obra de fachada quando as "cuecas" estão rotas.
Nada se tem feito para restaurar o que ainda pode ser restaurado.
Verbas para os vigilantes são escassas e tardam, quando vêm...
Mas ficar na "ficha" de uma obra de "ESTADO NOVO" era algo a que os políticos de carreira que dirigem o país não poderiam obviamente resistir!

Um abraço.