segunda-feira, abril 09, 2007

O DESPEDIMENTO À LA CARTE

A pretexto do PRACE e da reestruturação dos serviços públicos, o governo prepara-se para enviar para o quadro de supranumerários milhares de funcionários públicos, a acreditar nas notícias veiculadas pela comunicação social. Este processo, perfeitamente ilegal, começou pelo fim em vez de começar pelo princípio, que era definir as funções do Estado, as necessidades dos serviços e só depois verificar quantos funcionários estavam realmente a mais, para se poder proceder a reintegrações e à formação julgada necessária para os novos postos de trabalho.
Há muito que o Estado, leia-se o governo actual, deixou de ser pessoa de bem, respeitadora das suas obrigações para com os seus funcionários. Não é possível esquecer toda a campanha feita para denegrir a função pública nem ignorar a intenção de precarizar os vínculos de trabalho com a intenção clara de enveredar pelos despedimentos num futuro próximo.
A ilegalidade deste expediente que é o quadro de excedentários, é facilmente desmontável pelos tribunais pela falta de critérios objectivos na selecção que é perfeitamente arbitrária. A arbitrariedade vai ao ponto de se fazerem listas secretas, baseadas no critério único das chefias, sem qualquer tipo de explicações que possam ser alvo de contraditório pelos interessados (afectados), deixando-os impedidos de se defenderem como está consagrado na Lei.
É um processo ilegítimo, injusto e desprestigiante para quem se arroga de actuar com todo o rigor.

*** * ***
DA NATUREZA



Jessica Gildersleeve



*** * ***

HUMOR PARA ENGENHEIROS

J. Emilio Polo (Polito) USA

6 comentários:

Sílvia disse...

A trapalhada do "engenheiro" está mesmo a matar.

Anónimo disse...

Será que esse foi o primeiro prjecto do senhor engº? É o que faz não ir às aulas...

Rui Silva disse...

A atitude do governo tem muito a ver com a satisfação das sua clientelas, ou melhor dos seus donos, o patronato.

MouTal disse...

Obrigado pela visita.
Também gosto de passar pela sua casa, é sempre agradável.
Um abraço.

o guardião disse...

Quem disse que os socialistas quando estão no governo se preocupam em respeitar a Lei?
Sería uma novidade absoluta!

CORCUNDA disse...

Enfim, é um processo a fazer lembrar outros tempos e outros senhores. É este o rumo que nos traçam e que nós vamos aceitando. E vamos perdendo gradualmente direitos e regalias e vamos impávidamente assistindo, caindo no engôdo, cada vez que somos chamados às urnas.
Abraço.