sexta-feira, abril 20, 2007

A GUERRA DA FUNÇÃO PÚBLICA

O executivo decidiu avançar com a aprovação das leis mais polémicas para a função pública aprovando-as na generalidade. A discussão vai ser difícil e há alguns temas que não são pacíficos e que vão ser contestados com toda a certeza, nomeadamente as avaliações com quotas, a natureza dos vínculos a serem alterados unilateralmente, as carreiras e por arrastamento as categorias e as remunerações, e por fim a mobilidade e a cedência de interesse público.
É notável que se esteja a atirar com estas medidas sem antes se definir as necessidades de recursos humanos nas novas estruturas e sem se estabelecerem os objectivos das mesmas, que deveria ter sido o primeiro passo, mas parece que o governo quer esticar a corda ao máximo para tornar qualquer resistência o mais impopular possível. É uma estratégia possível mas que vai causar mais danos do que os necessários para uma racionalização dos serviços, mas é essa claramente a intenção de José Sócrates.
As propostas, ainda não são conhecidas em toda a sua amplitude mas do que se conhece não será aceite pacificamente pelos funcionários públicos que começam a estar cansados de tanto tempo de indefinição e de tantos ataques promovidos pela campanha promovida, ou pelo menos apoiada pelo próprio governo.
Os próximos tempos vão ser conturbados e o governo vai ter de colocar as cartas na mesa em breve, e então será o tempo certo para voltar a este assunto.

*** * ***
CARTOON


*** * ***

FOTO
Reflected stars by Francisca Rivera

8 comentários:

Anónimo disse...

Sobre isso o M. Alegre não se pronunciou, pois não?

Zé Povinho disse...

Não, não falou mas também podia ter falado, pois ser funcionário público não pode ser motivo de desprezo nem de vergonha, meu caro anónimo.

Joca disse...

A destruição dos serviços públicos já começou e as urgências, os tribunais e as escolas fecham às dezenas para que os mesmos serviços sejam feitos por privados e, das duas uma: ou vamos todos pagar mais pelos serviços logo que a eles acedemos, ou então pagamos mais nos impostos (aqueles que pagam, claro).
Estas são as preocupações do Socialismo do Socas !

Savonarola disse...

Estando em maioria absoluta, o governo PS actua de forma ditatorial, impondo, mais do que propondo, as suas medidas, especialmente as mais impopulares e as mais capitalistas. Como anarquista, conto com os movimentos sociais para contestar ferozmente estes ataques aos direitos dos trabalhadores e dos cidadãos em geral!

Savonarola disse...

Caro Zé Povinho,
Se não te importas, coloquei um link do meu O Anarquista para o teu Zé Povinho, muito em especial porque me identifico com o teu pensamento crítico.
Um abraço e felicidades!

Zé Povinho disse...

Amigo Savonarola
Este sítio está sempre à disposição e é um privilégio o seu link. Também vou colocar o link para O Anarquista, se não houver inconveniente.

Enfim... disse...

bem...sabes lá o que eu me ri com a 1ª imagem eheheheh ta fixe

Beijokas e bom fim semana

o guardião disse...

Começam a surgir desenvolvimentos ou pelo menos algumas novidades, nas declarações do ministro Teixeira dos Prantos. Nada de bom está claro.