domingo, março 18, 2007

RAPIDINHAS

Meter água – A revista Actual meteu positivamente a pata na poça dizendo que terá sido a imprensa que obrigou Manuel Bairrão Oleiro, director do IPM, a contratar vigilantes para os museus. Todos sabem que as admissões estão congeladas e que só podem ser obtidas a título excepcional por despacho conjunto da ministra da Cultura e do ministro das Finanças. Confundir o acto responsável de denunciar publicamente um assunto que ninguém queria resolver foi uma vitória do IPM, direcção e dos directores dos museus que arriscaram positivamente o pescoço com esta denúncia. A imprensa aqui foi o veículo, mas a Actual espalhou-se.

Regras de gestão – Começo a duvidar da competência dos peritos contratados pelo governo e da sanidade mental de quem propõe certas medidas. Regatear o salário dos futuros funcionários públicos admitidos após concurso público é uma das ideias mais idiotas que já ouvi de alguém que diz querer incentivar a produtividade e premiar o mérito. Então não é que ouvi que é possível não admitir os melhores classificados num concurso, no caso de não aceitarem a oferta salarial feita, posteriormente, pelo chefe do serviço que pode ser inferior à praticada normalmente? O chefe de serviço passa a ser classificado por ser bom a regatear salários e a (não) atribuir prémios de mérito?
A gestão de recursos humanos devia instalar-se na Feira da Ladra ou no Mercado da Ribeira, tal o absurdo das propostas vindas a lume.

A Bela e o Mestre – Confesso não ver muita televisão, para além da informação ao jantar, pelo que não me incomoda muito o lixo televisivo. A minha opinião é discutível, como a de qualquer pessoa mas não é disso que quero falar. O que me pergunto, é onde estão as mulheres que lutam pela igualdade dos géneros, por vezes dum modo pouco inteligente como no caso das cotas, agora que temos um concurso que me parece humilhante para o sexo feminino? Felizmente há mulheres belas e inteligentes, mas há quem se esforce por demonstrar o contrário, quase sem críticas femininas, o que é espantoso.
Outra vez Pinho – A nova marca do Algarve foi anunciada com pompa e circunstância e com a anuência do ministro Pinho. É sintomático que o dito esteja metido em tudo que consideramos asneiras. ALLGARVE diz o senhor com orgulho e até ajuda os incultos a traduzir a entorse, ALL quer dizer tudo. Fiquei muito assustado, não fosse este estrangeirado sugerir logo a seguir a nova marca Portugal – ALLPOORTUGAL.

*** * ***
IMAGENS DIVERTIDAS

Retirado do WEHAVEKAOSINTHEGARDEN

*** * ***

CARTOON

5 comentários:

Chiveve disse...

O Pinho e as suas broncas, o pessoal já só o ouve por pura diversão. É o humorista de serviço.

Aninhas disse...

Os milhões da promoção do turismo no Allgarve, com exemplos destes, vão ser uma Alltreta.

Laurentina disse...

Olá , que alegria encontrar mais um dos nossos ...de onde és?
Adorei a visita assim como gostei imenso do que vi aqui na tua palhota...
Voltarei sempre ,
Beijão grande

Zé Povinho disse...

Cara Laurentina
Sou da Beira, portanto da terra do Chiveve e da cerveja Manica. Também aterrei cá de paraquedas, e por cá vou vivendo.

Laurentina disse...

Querido amigo , pois chiveve é a alcunha do meu marido o Alvaro Abreu que viveu na "Manga" e eupropria tinha muita familia na Beira de certeza que a conheces -A FAMILIA LOMBA...o o piloto desaparecido numa queda de um avião na Beira era meu primo ...
A ver se te lembrasssss
Beijão grande hambanine