quinta-feira, março 15, 2007

MUITAS MENSAGENS

Nas últimas horas tenho recebido inúmeras mensagens de amigos a desejar-me as melhoras, o que me tem entretido bastante. Junto com algumas delas vêm uns anexos interessantes (fotos, cartoon’s e anedotas) bem como algumas informações sobre o caso da falta de pessoal nos museus, palácios e monumentos.
Embora os jornais, rádios e televisões tenham vindo informar que a falta de vigilantes estava em vias de ficar solucionada, não se deve passar o mesmo nos serviços dependentes do IPPAR. A situação, pelo que me descreveram três mails bastante extensos, parece que tem tudo a ver com a nova lei orgânica do IPPAR.
A nova lei orgânica (a que circula pela rede) prevê que a maioria dos serviços agora dependentes do IPPAR vão passar para a tutela do IPM, ficando de fora apenas os monumentos classificados como Património Mundial e o Palácio Nacional da Pena que deverá passar a ser explorado pelos Parque de Sintra – Monte da Lua. Em consequência deste facto, e também por alguma inacção, a direcção deste instituto começou a não se empenhar devidamente com serviços que vão sair da sua alçada, e alguns directores, atendendo à sua situação, terão preferido não fazer muitas ondas o que os deixaria em situação desfavorável (pensam eles).
A actuação do IPPAR e dos seus dirigentes, contrasta com a do IPM e dos seus dirigentes que sem receios (e com elevado profissionalismo) denunciaram a situação de carência de vigilantes, que de outro modo não teria solução com a brevidade necessária.
Se tudo correr com a celeridade anunciada os museus podem ter soluções para o problema de falta de pessoal e se o Ministério da Cultura não tomar a iniciativa, creio que a situação se vai agravar já na Páscoa em alguns palácios e até em monumentos, nomeadamente naqueles que recebem verdadeiras enchentes nesta quadra.
Veremos se o problema da falta de vigilantes não vai ser mais negativo do que as greves que esta classe de trabalhadores tem feito nesta ocasião também para alertar para o problema que agora teve projecção, negativa é claro.

*** * ***
FOTOS

Igor Permamedov

*** * ***


POBRE BLOGOSFERA
Como a blogosfera tem sido muito crítica da classe política e do governo, vamos começar a ver anúncios de blogues de ministros e, quem sabe, procuradores, secretários de Estado e acessores. Isto é que vai ser uma farturinha.
Devem ter dito a tais senhores que é muito “in” ter um blogue nem que para isso se tenha de contratar um jornalista e um jurista, para lançar para a já poluída blogosfera uns tantos palpites e anúncios de medidas a realizar daqui a algumas décadas.
Já não nos bastava o Pacheco Pereira e uns quantos analistas perfeitamente enquadráveis partidariamente, agora vão ser os membros do governo.
Para além da propaganda e dos comunicados estou curioso quanto ao conteúdo substancial e à participação dos leitores. Será que todos podemos participar, ou não?
Eu penso continuar por cá, se a saúde e a patroa mo permitirem.


Andrey Kurdyukov

*** * ***


OUTRO MANGUITO CULTURAL
Fiquei hoje a saber que mais de trinta funcionários do IPPAR, concursados há cerca de três anos e devidamente classificados, aguardam a subida de categoria desde então. Parece que alguns conseguiram ser recebidos recentemente por um responsável deste instituto e foi-lhes explicado que por dificuldades orçamentais, dívidas e outros encargos, não há dinheiro no orçamento para efectivar as suas promoções (por concurso). Senhora ministra da Cultura, a senhora não se envergonha com este tipo de argumentação num serviço por si tutelado? Será que não é possível libertar uns tostões para ao fim de três anos de injustiça, fazer o que já há muito devia ter sido feito?

5 comentários:

Zé Rui disse...

Fotos e manguito com pinta.

Aninhas disse...

Então a ministra tem dinheiro para nomeações (ficou muito bem classificada nesse ranking) e não tem para a progressão dos funcionários? De certeza que não são dos que a rodeiam...

o guardião disse...

A propósito do Manguito Cultural posso acrescentar que a direcção do IPPAR acha justo resolver o caso de pelo menos dois ou três funcionários nessa situação, deixando os outros na mão. Até ouve um comentário lateral, nos corredores, "o IPM depois que resolva o caso dos outros".
Um saneamento era pouco para superiore deste calibre.

Joca disse...

De volta ao serviço com assuntos interessantes.
Continuo a gostar

Anónimo disse...

A Isabelinha não vai fazer também um blogue? Sempre podia tornar pública a sua agenda de festas e inaugurações.